Campinas do Piauí - PI

MPF investiga aplicação irregular de R$ 2 milhões em Campinas do Piauí

A portaria nº 56 foi assinada pelo procurador da República Kelston Pinheiro Lages, nesta terça-feira (24).

Wanessa Gommes
Teresina
- atualizado

O Ministério Público Federal abriu inquérito civil para investigar irregularidades em convênio firmado pela prefeitura de Campinas do Piauí no ano de 2012, na gestão do prefeito Arlindo Bispo, no valor de mais de R$ 3 milhões. A portaria nº 56 foi assinada pelo procurador da República Kelston Pinheiro Lages, nesta terça-feira (24).

O objetivo é investigar irregularidades no Convênio TC/PAC 0274/2012 (Sistema de Abastecimento de Água) no valor de R$ 3.202.503,04 com início de vigência em 09/05/2012 (na gestão de Arlindo) e fim de vigência em 09/05/2016 (durante o mandato do prefeito Chico de Miguel) firmado com o Município de Campinas do Piauí.

  • Foto: Lucas Dias/GP1/DivulgaçãoChico de Miguel e Arlindo BispoChico de Miguel e Arlindo Bispo

Segundo a portaria, inicialmente foi instaurada notícia de fato, no entanto houve o esgotamento do prazo da mesma, sendo necessária a continuação da investigação.

O procurador determinou a manutenção dos autos conclusos para análise da documentação acostada, bem como a conclusão do inquérito policial requisitado para investigação dos fatos no âmbito criminal.

Outro lado

Os ex-prefeitos Chico Miguel e Arlindo Bispo não foram localizados pelo GP1.