Jaicós - PI

Neném de Edite é denunciado ao TCE por servidores públicos

A denúncia foi apresentada no dia 22 de agosto e o conselheiro Delano Carneiro será o relator.

Bárbara Rodrigues
Teresina
- atualizado

O prefeito de Jaicós, Ogilvan da Silva Oliveira, mais conhecido como Neném de Edite, foi denunciado ao Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE) por 11 servidores públicos municipais devido ao atraso de quatro meses no pagamentos dos salários de funcionários do Hospital Florisa Silva. Foram também citados na denúncia a diretora do hospital Oziana Oliveira e o secretário de Saúde Florentino Neto. A denúncia foi apresentada no dia 22 de agosto e o conselheiro Delano Carneiro será o relator.

Segundo os denunciantes, em 2007 o hospital foi entregue para a administração pública municipal, mas somente em 2014 a prefeitura passou a fazer a gestão plena dessa unidade de saúde. “Desde então os servidores públicos remanescentes do Estado que ainda prestam serviços no Hospital Florisa Silva passaram a ter problemas no recebimento mensal dos seus proventos salariais, com constantes atrasos”, afirmaram.

  • Foto: Danilo BezerraPrefeito Neném de Edite Prefeito Neném de Edite

Eles alegam que o prefeito Neném de Edite prometeu resolver o problema que afeta cerca de 20 servidores que eram servidores estaduais e atualmente “encontram-se com os proventos salarias em atraso referente aos meses de abril, maio, junho e julho” e que “cumpre esclarecer que atualmente o município de Jaicós está efetuando o recolhimento das contribuições previdenciárias regularmente referente a esses servidores, mesmo sem o pagamento dos proventos salariais em dia”.

A situação está crítica há alguns anos. “Existem proventos salariais e décimos terceiros em atraso referentes a meses dos anos anteriores, 2014 a 2018, em torno de 3 a 5 meses por ano de proventos salariais e décimos terceiros”, explicaram os denunciantes. Eles disseram que como o hospital foi municipalizado, cabe ao prefeito pagar os servidores, mas pediram que o secretário Florentio Neto, se manifeste no processo sobre os atrasos nos proventos.

Outro lado

O prefeito não foi localizado pelo GP1.