Batalha - PI

Pais de alunos temem transferência dos filhos na cidade de Batalha

Projeto da prefeitura e da secretaria propõe que os alunos estudem em tempo integral, com aulas na cidade. Mas os pais denunciam que não há estruturas de transporte e infraestrutura.

Jeyson Moraes
Teresina
- atualizado

Moradores da zona rural de Batalha, município localizado na região Norte do estado, entraram em contato com o GP1 na manhã desta quinta-feira (22) para denunciar que a prefeitura e a Secretaria de Educação está transferindo alunos da rede municipal na zona rural para escolas na área urbana.

Em entrevista ao GP1, Leidiane Sampaio, que é funcionária pública, informou que a prefeitura está com um projeto de nucleação na cidade com a proposta de transferir os alunos da zona rural para escolas maiores de tempo integral. A reivindicação dos pais é que as crianças são pequenas para se deslocarem até a cidade e que, nenhuma escola, tem estrutura para receber os alunos o dia todo, além de o transporte ser inadequado.

“A maioria das crianças são da creche, pré 1 e pré 2, crianças de 2 e 3 anos que são pequenas e que não têm condições de serem transportadas para a cidade, os ônibus quebram todos os dias, não têm qualidade nenhuma e não há pessoa responsável”, conta Leidiane.

Os pais estão realizando abaixo-assinados para tentar impedir a transferência, segundo os moradores, entre as localidades e unidades escolares nesta mudança estão a Unidade Escolar Pedro de Almeida, na localidade Zé Borges, a Unidade Escolar José Melo, no Pé da Ladeira, e Unidade Escolar Nicásio Pereira, no povoado Serra do Sertão.

Outro lado

O GP1 entrou em contato com o prefeito João Messias, na manhã desta quarta (22) e ele informou que está ocorrendo o incremento do ensino integral, baseando-se nos critérios do Ministério da Educação.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Prefeito de Batalha, João MessiasPrefeito de Batalha, João Messias

"Não existe essa questão do fechamento de escolas, nós estamos criando o que o Ministério da Educação nos exige, a escola de tempo integral e criando o bolsa Mais Educação, onde a criança, em vez de estudar em um turno, vai estudar em dois turnos, que é essa a metodologia de todos os educadores e do Ministério da Educação. Em um turno ele vai estudar em um polo e a tarde estuda na escola dele, acompanhado por monitores, chamado de reforços escolares”, destacou o prefeito.

A respeito do transporte das crianças, o prefeito também se posicionou: "Essa questão de logística está sendo toda estudada e discutida em audiência publica, tudo isso vai ser paulatinamente melhorado, a escola de tempo integral vai melhorar a aprendizagem do aluno, o que é exigência do Ministério da Educação, nós não estamos fazendo nada mais do que a melhoria da qualidade do ensino, para melhorar os índices", finalizou.

Mais conteúdo sobre: