Mundo

Papa pede esperança em meio a 'agitações' na América Latina

Francisco pediu em sua mensagem "que o pequeno Menino de Belém seja esperança para todo o continente americano, onde várias nações estão passando por um período de agitações sociais e políticas".

Por  Estadão Conteúdo
- atualizado

O papa Francisco pediu nesta quarta-feira, 25, em sua tradicional mensagem de Natal, esperança "para todo o continente americano, onde diversas nações estão passando por um período de agitações sociais e políticas" e alento para "o povo venezuelano, amplamente provado pelas tensões".

No Balcão Central da Basílica de São Pedro, no Vaticano, para a Mensagem de Natal e Bênção "Urbi et Orbi", Francisco citou os conflitos e injustiças do mundo, como em outras ocasiões.

  • Foto: Remo Casilli/ReutersPapa FranciscoPapa Francisco

O pontífice começou a mensagem observando que "há trevas" nos corações humanos, nas relações pessoais e nas famílias e nos conflitos econômicos, geopolíticos e ecológicos, mas defendeu "que é maior a luz de Cristo".

Por isso, Francisco pediu em sua mensagem "que o pequeno Menino de Belém seja esperança para todo o continente americano, onde várias nações estão passando por um período de agitações sociais e políticas", mas não mencionou a quais países se referia.

O papa também desejou "alento ao querido povo venezuelano, amplamente provado pelas tensões políticas e sociais, e que não falte a ajuda de que precisa".

Ao falar sobre conflitos atuais, o papa citou a guerra na Síria, os conflitos no Líbano e no Iraque e também lembrou dos que são perseguidos por causa da fé e "especialmente os missionários e os fiéis que são sequestrados e aqueles que são vítimas de ataques de grupos extremistas, especialmente em Burkina Fasso, Mali, Níger e Nigéria".

Mais conteúdo sobre: