Teresina - PI

Pastor evangélico é preso na Operação Cerco Fechado em Teresina

De acordo com o delegado titular da DICAP, Willame Moraes, até o momento 12 pessoas já foram presas.

Brunno Suênio
Teresina
Bárbara Rodrigues
Teresina
- atualizado

Pastor evangélico é preso na Operação Cerco Fechado em Teresina

A Divisão de Capturas (DICAP) da Polícia Civil do Piauí deflagrou na manhã desta terça-feira (18) a segunda fase da Operação Cerco Fechado com o objetivo de dar cumprimento a 14 mandados de prisão expedidos pela Justiça por diversos crimes. Dentre os presos está o pastor evangélico Maurício Pereira Nascimento, acusado de roubo.

De acordo com o delegado titular da DICAP, Willame Moraes, até o momento 12 pessoas já foram presas. Entre elas há um deficiente físico, identificado José de Egito Santana, acusado de esfaquear um policial civil lotado em Teresina e um homem identificado como José Almeida, suspeito de participar de uma chacina na cidade de Guarulhos, no estado de São Paulo, onde seis pessoas foram mortas, no ano de 2002.

  • Foto: Divulgação/PM-PIPresosn operação Cerco FechadoPresos na operação Cerco Fechado

“Essa é a segunda fase da operação Cerco Fechado em Teresina. Na semana passada teve a primeira fase, que era mais ostensivo, com barreiras, mandados de prisões. Ao todo 14 mandados de prisões, sendo que são 12 pessoas presas. Temos pessoas presas por homicídio, tentativa de homicídio, roubo qualificado e outros crimes menos graves. Um dos casos é a tentativa de roubo e homicídio de um policial civil da nossa capital. Ele foi esfaqueado e teve a sua arma subtraída. O que chama mais atenção nesse caso é que um dos acusados é deficiente físico e só tem uma perna. Temos também preso um pastor evangélico pelo crime de roubo. Outro caso de prisão é de um dos responsáveis por uma chacina corrida em Guarulhos, onde seis pessoas foram mortas em 2002”, explicou o delegado Willame Moraes.

  • Foto: Divulgação/PM-PIPresos na Operação Cerco FeechadoPresos na Operação Cerco Feechado

A polícia ainda tenta prender mais duas pessoas. “Os presos estão na Delegacia Geral, depois vão para a Central de Flagrantes de Teresina para fazer exame de corpo e delito. Falta ainda as prisões de duas pessoas para dar encerramento a operação”, disse o delegado.

Já foram presos: Lorena Hermes da Costa Silva por receptação; Antonio de Lima Macedo por receptação e porte ilegal de arma; Josemar da Costa Silva por roubo; Osmael Vieira de Macedo (não foi revelado o crime); Gustavo Rossine Moraes por roubo; Bruno Santana Barbosa por roubo; José de Almeida de Sena Bispo por participar de uma chacina em Guarulhos; Denilson Jardel de Sousa Marinho por receptação; Maurício Pereira Nascimento por roubo; Alexandre Werendell da Silva Marques por roubo; Moisés Pereira da Silva por roubo; e José de Egito Santana de Araújo, por roubo e tentativa de homicídio.

Prisão do pastor

O pastor Maurício Pereira foi preso crime de roubo ocorrido há 13 anos. Na ocasião ele não era pastor. Segundo informações do delegado Willame, ele foi localizado após tentar emitir uma certidão.

“Ele não nega [o crime]. Ele foi preso após ser expedido o mandado de prisão contra o pastor. Ele disse que esse caso ocorreu há 13 anos, e que há 10 anos ele é pastor. Disse que se entregou a Cristo e inclusive faz trabalho de recuperação a pessoas no sistema prisional do Piauí. Ele foi pedir uma certidão para emitir um documento no fórum e foi verificado que ele tinha mandado de prisão aberto. A Dicap foi ao fórum e fez a prisão”, explicou o delegado.

Acusado de chacina

Já a prisão de José Almeida aconteceu após uma colaboração entre as policias do Piauí e de São Paulo. “Em vários estados temos um órgão policial que dá cumprimento aos mandados, e aqui no Piauí é a Dicap e em São Paulo tem uma Recap. Então a gente sempre entra em contato com os colegas para fazer um intercâmbio. Um colega [de São Paulo] nos mandou na semana passada esse caso para a gente e solicitou o cumprimento. Aproveitamos a operação, fizemos uma pesquisa e conseguimos localizar ele, e prender”, destacou Willame Moraes.

Deficiente físico esfaqueou policial

José do Egito foi preso em Teresina após tentar roubar a arma e esfaquear um policial em 2018. “O crime ocorreu no ano passado, dia 29 de abril. O policial civil foi abordado, tentaram levar a sua arma funcional e houve uma resistência por parte do policial. Ele então foi esfaqueado e teve sua arma subtraída, que estava carregada. Nessa época o José do Egito conseguiu fugir, mas logo depois ele foi preso com outra pessoa em flagrante, mas depois foi colocado em liberdade. Agora saiu o mandado de prisão que foi efetivamente cumprido. Além desse crime o José do Egito responde por tráfico de drogas”, explicou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Polícias civil e militar deflagram Operação Cerco Fechado em Teresina

Policial civil é esfaqueado na Vila Jerusalém em Teresina

Mais conteúdo sobre: