Parnaíba - PI

"Pessoas estão passando fome em Parnaíba", diz procurador Ricardo Mazulo

Ricardo Mazulo se pronunciou após a Justiça do Piauí suspender novamente o decreto do prefeito Mão Santa, que autorizava o funcionamento das atividades econômicas em Parnaíba durante a pandemia.

Thais Guimarães
Teresina
Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O procurador-geral do município de Parnaíba, Ricardo Mazulo, se pronunciou nesta quinta-feira (16) após a Justiça do Piauí suspender novamente o decreto assinado pelo prefeito Mão Santa, que autorizava o funcionamento das atividades econômicas na cidade durante a pandemia de coronavírus (covid-19). O advogado afirmou que a prefeitura recebe “com tristeza” a decisão, e teme que o isolamento e a proibição dos serviços comerciais possam acarretar problemas como fome e depressão.

Ricardo Mazulo, em um vídeo de aproximadamente dois minutos de duração, explicou todo o processo em torno do decreto, que foi suspenso pela segunda vez. “Por decisão judicial esse decreto foi suspenso pelo prazo de 15 dias, esse prazo finalizou na segunda-feira, de forma que, na terça-feira esse decreto voltou a valer, e consequentemente o prefeito Mão Santa permitiu o retorno das atividades econômicas. Contudo, houve uma nova decisão judicial no mesmo processo em que novamente se determinou a suspensão desse decreto, devendo-se seguir o decreto do governo estadual, do governador Wellington Dias, que impede que as pessoas exerçam suas atividades econômicas”, narrou.

O advogado afirmou que a administração municipal de Parnaíba recebe com muita tristeza a nova decisão, proferida pela juíza Anna Victória Muylaert nesta quarta (15). “Recebemos essa decisão com tristeza, o prefeito Mão Santa já determinou o cumprimento [da determinação judicial], vamos continuar discutindo isso judicialmente”, declarou.

Na avaliação de Mazulo, a pandemia de coronavírus não é o único problema a ser enfrentado. Para ele, os desdobramentos das medidas de isolamento social também podem ser bastante prejudiciais à população.

“No Brasil morre uma média de 15 pessoas por dia por desnutrição, essa quantidade de mortes vai aumentar, pessoas estão passando fome em Parnaíba, como no Brasil inteiro. O mal do século, que é a depressão, vai ser agravado, as pessoas estão em casa sem ter como colocar um prato de comida para seus filhos, então isso vai gerar um problema psicológico muito grave que vai prejudicar a população, e nada disso está sendo levado em consideração”, defendeu.

Entenda

O decreto assinado por Mão Santa, publicado no dia 26 de março, permitia a manutenção das atividades econômicas no município, no entanto, a determinação da Prefeitura foi suspensa dois dias depois pela Justiça, por meio de uma liminar da juíza Anna Victória Muylaert, com duração de 15 dias.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Prefeito Mão Santa  Prefeito Mão Santa

Passado esse prazo, o documento assinado pelo prefeito tornou a valer na última segunda-feira (13), assim, foi determinado o retorno gradual do comércio. Contudo, nesta quarta (15) a mesma juíza reavaliou o processo e suspendeu novamente o decreto municipal, proibindo o retorno das atividades econômicas.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Prefeito Mão Santa libera atividades econômicas em Parnaíba

Juíza suspende decreto de Mão Santa e proíbe reabertura do comércio

Prefeito Mão Santa autoriza retorno gradual do comércio em Parnaíba

Juíza suspende decreto de Mão Santa e proíbe retorno do comércio em Parnaíba