Piauí

Piauí fica em 6° lugar no ranking de Boas Práticas de Segurança do Paciente

O formulário eletrônico era formado por 15 questões objetivas e 4 questões sobre a avaliação de indicadores de estrutura e de processo de práticas de segurança do paciente.

Wanessa Gommes
Teresina
- atualizado

O Piauí ficou em 6° lugar no ranking nacional da Autoavaliação de Boas Práticas de Segurança do Paciente, realizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

De acordo com o secretário de Saúde, Florentino Neto, essa posição no ranking significa que 100% dos 21 hospitais prioritários atenderam a solicitação da Secretaria de Saúde do Estado e apresentaram as informações que eram necessárias para a Anvisa, mostrando que são capacitados para o gerenciamento de seus riscos.

  • Foto: Helio Alef/GP1Florentino NetoFlorentino Neto

A Autoavaliação foi baseada no preenchimento do formulário Nacional das Práticas de Segurança do Paciente da ANVISA, realizado pelos Núcleos de Segurança do Paciente (NSP) e pelas Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) dos 21 hospitais prioritários do Piauí, públicos e privados, no período de maio a setembro de 2018.

O formulário eletrônico era formado por 15 questões objetivas e 4 questões sobre a avaliação de indicadores de estrutura e de processo de práticas de segurança do paciente. É classificado como hospitais prioritários no Plano Integrado aqueles que possuem leito de UTI.

Em 2019, a Anvisa vai prosseguir com o monitoramento e já disponibilizou o formulário para o preenchimento dos hospitais. “Com isso, nós queremos estimular que os núcleos de segurança do paciente e as comissões internas de controle de infecção hospitalar, para que elas possam continuar trabalhando e estimular também os diretores e gestores dos hospitais, para que eles continuem dando esse exemplo, respondendo a vigilância sanitária e as suas recomendações, para que no ano de 2019 o Piauí possa ficar bem posicionado, assim como foi no ano anterior”, finalizou Florentino Neto.

Segundo a diretora da Vigilância Sanitária do Piauí, Tatiana Chaves, há três anos o Piauí responde ao questionário, mas só agora todos os hospitais prioritários responderam o formulário de autoavaliação e depois disso foi possível identificar as necessidades de melhorias a serem implantadas, proporcionando ao usuário um serviço com mais qualidade e segurança.

Com colaboração da repórter Victória Xavier

Mais conteúdo sobre: