Coronavírus no Piauí

Piauí recebe 50 monitores e 20 ventiladores do projeto Todos pela Saúde

O Piauí também recebeu 548.000 aventais; 6.800 óculos de proteção; 5.725 protetores faciais; 59.500 pares de luvas; 183.000 toucas; 50.000 máscaras cirúrgicas e 123.100 Máscaras N-95.

O Piauí foi recebeu 50 monitores multiparâmetro de última geração e 20 ventiladores oriundos do projeto Todos pela Saúde. Além dos equipamentos que permitem a montagem de mais leitos com ventiladores, o estado também recebeu equipamentos de proteção individual que serão disponibilizados aos profissionais da rede que estão atuando diretamente no enfrentamento da covid-19. O estado já havia recebido oito monitores e nove ventiladores por meio desta iniciativa.

O Projeto Todos pela Saúde é uma ação do Banco Itaú coordenada pela Fundação Itaú e gerenciada pelo Hospital Sírio Libanês que está investindo cerca de R$ 1 bilhão para todo o território brasileiro no enfrentamento a pandemia de Covid-19. Os recursos do projeto são geridos por especialistas do setor, buscando apoiar a saúde pública.

O Piauí também recebeu 548.000 aventais; 6.800 óculos de proteção; 5.725 protetores faciais; 59.500 pares de luvas; 183.000 toucas; 50.000 máscaras cirúrgicas e 123.100 Máscaras N-95.

Além dos equipamentos distribuídos, um dos papéis do projeto é a implantação dos gabinetes de crise nos hospitais da rede de saúde piauiense para o enfrentamento da covid-19. O superintendente de Gestão da Rede de Média e Alta Complexidade da Sesapi, Alderico Tavares, explica que os gabinetes de crise auxiliam na gestão dos leitos e respostas ao funcionamento dos hospitais na questão do enfrentamento da pandemia. “Esses gabinetes nos trazem uma maior propriedade de gerenciamento dos leitos clínicos. O Hospital Sírio Libanês repassa a expertise de gerenciamento para os nossos hospitais que têm um menor custo de gerenciamento e maior rapidez na resolução de questões que venham a surgir na unidade e no tratamento dos pacientes”, explica o gestor.

A distribuição dos novos equipamentos será baseada na complexidade das Unidades de Terapia Intensiva dos hospitais, sendo aquelas com maior complexidade as prioritárias para receber esse equipamentos. As unidades regionais receberão os equipamentos também. “Estes são equipamentos de ponta que irão melhorar o conceito das nossas UTIs por todo o estado”, conclui Alderico Tavares.

A Segunda etapa do projeto irá priorizar a questão da gestão e capacitação na rede.

Mais conteúdo sobre: