Teresina - PI

Piauienses recebem certificação da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica

A certificação tem como objetivo avaliar a qualidade do serviço oferecido por hospitais, cirurgiões e equipes multidisciplinares.

Andressa Martins
Teresina
- atualizado

Na última sexta-feira (18) os três cirurgiões piauienses Marlon Moreno, Aderson Aragão de Moura e Antônio Moreira Mendes Filho, receberam a certificação e acreditação profissional em Cirurgia Bariátrica durante evento em São Paulo. O certificado foi emitido em parceria entre a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica com a World Medical Accreditation.

A certificação foi entregue pelo presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, Marcos Leão Vilas Bôas e tem como objetivo avaliar a qualidade do serviço oferecido por hospitais, cirurgiões e equipes multidisciplinares. Nesta primeira etapa foram entregues os primeiros 65 certificados.

Em entrevista ao GP1 na tarde deste domingo (20), um dos médicos piauienses que recebeu a certificação, Dr. Marlon Moreno, Coordenador do serviço de Cirurgia Bariátrica do Hospital Getúlio Vargas (HGV), explicou que a creditação acontece após serem avaliados 19 critérios, como o nível de segurança para o paciente bariátrico.

  • Foto: Arquivo PessoalDr. Marlon MorenoDr. Marlon Moreno

“Recebemos a certificação em São Paulo. Essa certificação vai acontecer de forma rotineira e tem validação por um ano. É onde o cirurgião é avaliado em 19 critérios, principalmente em seu resultado. É feita uma auditoria em relação ao hospital que vice trabalha, os pré-requisitos básicos no atendimento de um paciente bariátrico, se tem segurança para o paciente, se tem equipe multidisciplinar. É uma creditação e certificação de qualidade de hospitais e cirurgiões”, afirmou.

Procedimento seguro

Conforme dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, os índices de complicação e mortalidade em cirurgias bariátricas vêm caindo. Atualmente os índices de complicação são de apenas 3% e de mortalidade fica entre 0,02% e 0,05%. Para o médico Marlon Moreno, essa certificação mostra que o paciente pode ficar tranquilo quanto a realização do procedimento, caso seja feito por um profissional capacitado e em um hospital de alta performance.

“Essa qualificação vai mostrar nos hospitais de alta performance, com cirurgiões bem treinados, o risco de complicações é tão baixo quanto se realizar uma retirada de vesícula ou uma histerectomia. Então com um cirurgião bem treinado, diminuiu bastante esse tipo de complicações. Essa creditação é como um selo de qualidade, de comprovação de que a gente está oferecendo um serviço de qualidade para o paciente, para que ele possa ter maior segurança no seu procedimento”, finalizou.

Além de Marlon Moreno, os piauienses Aderson Aragão de Moura e Antônio Moreira Mendes Filho também receberam a certificação.