Economia e Negócios

PIB do Piauí cresce 2,1% e chega a mais de R$ 50 bilhões, diz IBGE

O crescimento do PIB no Piauí, foi o décimo segundo maior crescimento dentre todas as unidades da federação. A média do estado foi superior à média registrada para o país e para a região Nordeste.

Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

Os resultados das Contas Regionais do país divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (13) apontaram que o Produto Interno Bruto (PIB) do Piauí teve um crescimento de 2,1%, chegando a R$ 50,3 bilhões. Os dados foram apurados em parceria com a Secretaria de Planejamento do Estado do Piauí, através da Superintendência de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí – CEPRO. Os dados da pesquisa correspondem aos anos de 2017 e 2018.

Segundo os dados, o Brasil atingiu em 2018 cerca de R$ 7,0 trilhões, evidenciando um crescimento de 1,8% do PIB do país naquele ano, em comparação com 2017. A única unidade da federação que não apresentou crescimento do PIB em 2018 foi Sergipe, que registrou uma variação de -1,8%.

A secretária de Estado do Planejamento do Piauí, Rejane Tavares, destaca a relevância do PIB para a construção de políticas públicas. “É preciso ver que o PIB é um indicador econômico de muita importância, pois, ele representa a soma de todos os bens e serviços produzidos no estado durante o ano de 2018. Então, ele mostra a dinâmica econômica do estado, quais os setores que tem uma perspectiva de crescimento maior e permite, também, uma tomada de decisões e de construção de políticas públicas que possam apoiar a dinâmica econômica do estado”, explicou.

O crescimento do PIB no Piauí, foi o décimo segundo maior crescimento dentre todas as unidades da federação. O estado que apresentou o maior crescimento foi o Amazonas, com 5,1%. O aumento do PIB do Piauí em 2018, de 2,1%, foi superior à média registrada para o país e para a região Nordeste, ambas em 1,8%.

Apesar do crescimento do PIB do estado em 2018, a participação em relação ao total do PIB do Brasil não apresentou alteração em relação ao ano de 2017, representando cerca de 0,7% do PIB do país, mantendo a 21ª. posição

Mais conteúdo sobre: