Teresina - PI

Polícia apreende 30 aves na Lanchonete do Seu Abraão em Teresina

Segundo Abraão da Silva, equipes do Ibama também foram no local e negociaram com ele para soltar as aves em um sítio.

Davi Fernandes
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
Carolina Dias
Teresina
- atualizado

Equipes da Polícia Civil do Piauí, da Polícia Militar Ambiental e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) apreenderam cerca de 30 aves na tarde desta quarta-feira (08), na Lanchonete do Seu Abraão, localizada no Centro de Teresina.

Em entrevista ao GP1, o proprietário do local, Abraão da Silva Gomes, relatou que já vive ali há cerca de 57 anos e que as aves foram levadas para sua residência por causa da sua esposa. “No quintal da nossa casa, tinha um pé de seriguela. Aí as aves se libertavam de gaiolas, por descuido do dono e vinham para um pé de seriguela e ela prendia. E aí ficou se multiplicando”, disse.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Seu AbraãoSeu Abraão

Ainda segundo Abraão da Silva, equipes do Ibama também foram no local e negociaram com ele para soltar as aves em um sítio. “Houve boa conversa, saiu tudo bem. Nós temos um sítio e eles concordaram em levar lá para o sítio e soltar lá no sítio. Lá a gente pode continuar alimentando até elas fazerem uma adaptação”, informou.

Quantidades de animais

Ao todo foram em torno de 30 aves apreendidas, algumas com quase 50 anos. “Quase 3 dezenas. Cheguei a ter um papagaio de quase 50 anos. Mas eles foram complacentes. Tenho 2 papagaios, mas eles deixaram os papagaios. Logo, um não tem mais condições de voar. O outro tem 49 anos. A minha filha, que a mãe dela morreu, ela sofreu muito, mas não chorou. Hoje, quando falaram em levar o papagaio, ela chorou. É um amor, ele fala muito, chama mamãe. E, de certo modo, foram complacentes”, ressaltou.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Lanchonete do Seu AbraãoLanchonete do Seu Abraão

História do local

Abraão da Silva Gomes relatou ao GP1 que se mudou para o Centro em 1957 e em 1964 abriu o estabelecimento que hoje é bastante conhecido na região.

“Comecei naquela outra esquina em 1957. Aí em 62 eu construí a parte térrea desse prédio e em 64 eu construí o prédio e vim morar aqui. Aí os negócios melhoraram muito, a receptividade minha e o sabor do suco foi aglomerando cada vez mais a freguesia. Então, eu deixei de fazer picolé e adotei vender só o suco. E então a população que participava era muito generosa e ficava fazendo propaganda de boca em boca”, falou.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Senhor AbraãoSenhor Abraão

“Às vezes quem não tinha uma alimentação farta, se alimentava em casa e passava aqui para completar com o suco. Foi aumentando a popularidade, o governo passou a me encarar, me ajudar e me deu a medalha do Conselheiro Saraiva, me deram o título de cidadão piauiense”, finalizou.