Canto do Buriti - PI

Polícia Civil do Piauí detalha prisão de acusados de matar PM em SP

Após darem um tiro na cabeça da vítima, eles arremessaram o policial do carro em movimento.

Brunno Suênio
Teresina
Laura Moura
Teresina
- atualizado

A Polícia Civil detalhou, na manhã desta sexta-feira (01), durante uma coletiva de imprensa, o duplo latrocínio praticado contra um policial militar e seu próprio filho, no Estado de São Paulo, por dois homens identificados como Anderson Barbosa de Souza Alves e Matheus da Silva Andrade, presos na tarde de ontem no município de Canto do Buriti. O PM, após ser alvejado com um tiro na cabeça, foi arremessado de um veículo em movimento.

Em entrevista ao GP1, o delegado Daniel Pires, responsável por comandar as diligências para a captura da dupla no Piauí, explicou que os assassinatos ocorreram no dia 19 de outubro de 2018, durante um roubo de um Toyota Corolla. O carro, que também era um táxi, estava sendo conduzido pelo filho do policial.

  • Foto: Divulgação/SSP-PIMateus, Anderson e Paulo da esquerda para a direitaMateus, Anderson e Paulo da esquerda para a direita

“Na ocasião, entraram em luta corporal o Matheus com o motorista do táxi, que é filho do PM e, nesse momento, deram dois tiros na cabeça do condutor, que veio a óbito no local. Eles tomaram o carro de assalto e quatro quarteirões depois descobriram que o cidadão que estava no veículo era um policial militar aposentado. Então, deram um tiro na cabeça do policial, abriram a porta com o carro em movimento e empurraram o corpo”, contou o delegado.

  • Foto: Hélio Alef/GP1Delegado Daniel Pires dá detalhes das prisõesDelegado Daniel Pires dá detalhes das prisões

Logo depois, a sogra do filho do PM, que também estava no veículo, foi alvejada com um tiro no abdômen. Ela não veio a óbito, entretanto, o policial aposentado morreu no local e o filho dele um dia depois do ocorrido. Em seguida, eles fugiram para o Piauí. “Eles fugiram para o Piauí, para a cidade de Canto do Buriti. Mesmo eles não tendo nenhuma ligação com o Estado, eles vieram para cá. Eles não têm familiares, não tem amigos, mas vieram para cá. Então, a investigação vai mostrar porque eles vieram parar aqui”, completou Daniel.

Durante o cumprimento dos dois mandados de prisão, um outro indivíduo, identificado como Paulo Gil Sousa Vieira da Silva, foi preso. Anderson e Matheus estavam escondidos na casa e este homem sempre a frequentava. Paulo foi flagrado produzindo entorpecentes no quintal pelos policiais.

“Durante esses dois dias de monitoramento foi percebido que, embora eles não saíssem de casa, havia um grande fluxo na residência. Pessoas chegavam de moto e de carro, quase que de hora em hora, para receber encomendas deles. E, esse indivíduo esteve lá no dia anterior e ontem ele esteve com uma outra encomenda, uma caixa grande, que dizendo ele que era água. Mas, foi encontrado na casa maconha e cocaína, e o Paulo e o Matheus estavam lá no quintal produzindo drogas para o consumo. Foi visto pelos policiais eles preparando a droga para ser revendida”, relatou.

Participaram da ação o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO), a Polícia Militar e a Delegacia Regional de Canto do Buriti, além do serviço de inteligência da PM de São Paulo. O coordenador do GRECO, delegado Tales Gomes, ressaltou que os presos serão levados para a Central de Flagrantes e, logo depois, recambiados para a Colônia Agrícola Major César de Oliveira, em Altos. Em seguida, serão recambiados ao Estado de São Paulo.