Picos - PI

Policiais civis de Picos paralisam atividades em protesto

Durante a paralisação os sindicalistas realizaram um protesto em frente à Delegacia Regional de Polícia Civil.

Raisa Brito
Chefe de Redação

Para protestar contra as péssimas condições de trabalho, policiais civis de Picos paralisaram as atividades nesta terça-feira, 28. Durante a mobilização, sindicalistas realizaram uma manifestação em frente à Delegacia Regional, local onde também funciona a Central de Flagrantes.

Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Piauí (Sinpolpi), Constantino Júnior, são três os motivos da paralisação de 24 horas, dentre os quais o descumprimento por parte do governo da decisão de processo judicial que tramita na justiça do trabalho.

  • Foto: GP1Constantino Júnior, presidente do SinpolpiConstantino Júnior, presidente do Sinpolpi

Em razão das denúncias do Sinpolpi existe um processo judicial no qual a Procuradoria do Trabalho ajuizou junto a Justiça do Trabalho. “O juiz liminarmente determinou que se retirasse o efetivo da Polícia Civil de um prédio alugado, porém, o mesmo continua sendo usado como depósito de veículos apreendidos”, denuncia Constantino Júnior.

  • Foto: GP1Policiais civis paralisam atividades por 24 horas em PicosPoliciais civis paralisam atividades por 24 horas em Picos

O segundo motivo da paralisação é contra a decisão da Delegacia Regional de Picos, que insiste na lotação de policiais civis no antigo prédio da regional, colocando em risco a saúde e a vida dos servidores, num claro desvio de função.

“Num efetivo que já é pequeno, desloca-se todos os dias um policial civil para tirar plantão no antigo prédio da Regional, cuja estrutura está comprometida e correndo risco de incêndio. “Então, o policial civil passa a ser vigia de uma sucata e deixa de exercer seu verdadeiro papel constitucional, que é de investigar” – condena o presidente do Sinpolpi.

  • Foto: GP1Policiais civis protestam contra as péssimas condições de trabalhoPoliciais civis protestam contra as péssimas condições de trabalho

Os policiais civis também denunciaram a quantidade de presos custodiados na Delegacia Regional de Picos, inclusive, vindo de outros municípios. De acordo com Constantino Júnior, no local existem duas celas que não atendem as necessidades da demanda de presos.

  • Foto: Gelimar MouraAntigo prédio da Delegacia Regional está lotado de carros apreendidosAntigo prédio da Delegacia Regional está lotado de carros apreendidos

“Em certos momentos nós temos mais de 30 presos custodiados em dois cubículos. Se tiver mulher presa ou menor, se coloca todos os homens numa única cela, o que se configura numa situação complicada, inaceitável” – denuncia Constantino Júnior.

A categoria defende então que policiais civis não sejam mais escalados para tirar plantão no antigo prédio da Delegacia Regional, que atualmente é um local insalubre, inseguro e com sérios riscos de incêndio. E que se comece a construção definitiva daquilo que está na decisão judicial, que é um novo espaço para a Polícia Civil. O prédio está previsto para ser erguido na antiga sede do 4º Batalhão Policial Militar, situado na avenida Nossa Senhora de Fátima, bairro Canto da Várzea.

  • Foto: GP1Carros apreendidos ficam em frente a Delegacia Regional de Polícia CivilCarros apreendidos ficam em frente a Delegacia Regional de Polícia Civil
Mais conteúdo sobre: