São Paulo - SP

Prédio onde mora Heráclito Fortes é alvo de ataque em São Paulo

De acordo com informações do Brasil Urgente, da Band, cerca de quatro pessoas foram intoxicadas pela substância e receberam atendimento médico.

Wanessa Gommes
Teresina
- atualizado

O prédio onde o ex-deputado federal, Heráclito Fortes, mora, localizado na região do Jardins, em São Paulo, sofreu um ataque, na noite desta segunda-feira (10), quando um homem jogou gás de pimenta por baixo da porta de um apartamento que está em reforma. De acordo com informações do Brasil Urgente, da Band, cerca de quatro pessoas foram intoxicadas pela substância e receberam atendimento médico.

Em entrevista ao apresentador Datena, do Brasil Urgente, o ex-parlamentar, que estava no prédio no momento do ataque, disse que não sofreu nada. “Não há nenhum pânico. Nada de grave a não ser o susto. Eu não vi nada, desci do 7º andar com os bombeiros direto para cá. Não senti cheiro nenhum, nada", contou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Ex-deputado Heráclito Fortes Ex-deputado Heráclito Fortes

Ainda segundo Fortes, a portaria do prédio foi esvaziada e que ficou sabendo do caso através do programa. "Aconteceu que a portaria foi esvaziada, os telefones não atendiam. Minha mulher ligou no Datena. Foi quando ligamos e ficamos tendo as informações. É uma coisa isolada, uma rixa”, relatou.

O major Max, da Polícia Militar de São Paulo, afirmou que o spray atingiu funcionários que trabalhavam na reforma e que o autor já teve problemas com moradores. "Foi um tubo de spray de pimenta. Ele usou por baixo [da porta] e atingiu os funcionários. Ele nos entregou o tubo do gás pimenta. Ele já teve problemas com os demais moradores. A situação mais crítica foi hoje. Tocamos a campainha, ele abriu, deixou entrar. Ele negou no início, mas depois confirmou a história. Um perfil de cidadão comum", explicou.

Segundo o médico Washington Canedo, do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), quatro vítimas foram intoxicadas e uma delas chegou a vomitar sangue, mas todos estão em estado estável e foram encaminhados para o pronto atendimento do Incor (Instituto do Coração).

Pessoas relataram que o suspeito estaria incomodado com o barulho causado pela obra e teria usado a substância química contra as pessoas que trabalham no local.

O morador foi preso pela Força Tática e encaminhado à Delegacia de Polícia.

Mais conteúdo sobre: