Mundo

Presidente Obrador quer que dinheiro de 'El Chapo' seja 'devolvido'

Justiça dos EUA determinou o pagamento de indenização de US$ 12,6 bilhões, ainda não realizado.

Por  Estadão Conteúdo

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, afirmou nesta quinta-feira, 18, que seu governo utilizará os meios legais para garantir que a fortuna do narcotraficante Joaquín “El Chapo” Guzmán retorne ao México.

“Acredito que tudo que seja confiscado e que esteja relacionado ao México tem que ser devolvido ao México e aos mexicanos”, defendeu Obrador. “Acredito que o governo dos Estados Unidos também estará de acordo com isso, de nos entregarem o que pertence ao México; os trâmites têm que ser feitos desde já. Nós não vamos deixar de recorrer a esses assuntos pela via legal”, concluiu.

Na quarta-feira, “El Chapo” foi condenado a prisão perpétua com um adicional de 30 anos por posse de armas de fogo. Além disso, deverá pagar uma indenização de US$ 12,6 bilhões, segundo estipulado no começo de julho por um juiz de Nova York, onde o traficante está preso desde 2017, quando foi extraditado do México aos EUA. O montante ainda não foi pago pelo traficante.

O valor calculado pelas autoridades americanas do dinheiro arrecadado com o tráfico de cocaína e outras drogas para os EUA, sob o comando do Cartel de Sinaloa é de US$ 14 bilhões, ao longo de 25 anos.

A questão é delicada, porque supõe-se que se trata de dinheiro proveniente da venda de drogas do cartel mexicano nos EUA. Até o momento, as autoridades americanas não disseram como pretendem administrar o dinheiro de Guzmán.

Obrador afirmou que o México cometeu um erro no passado ao permitir que os EUA arrecade dinheiro em casos penais e de corrupção contra suspeitos mexicanos, e prometeu que isso não voltará a acontecer. Acrescentou, também, que o dinheiro será utilizado para programas de combate à pobreza no país.

O governo de Obrador já leiloou carros de luxo e mansões confiscados do crime organizado. Nesta quinta, distribuiu o montante entre comunidades pobres. Em breve, fará o leilão de joias.

Comoção

O presidente mexicano também expressou uma espécie de lamento pela sentença de prisão perpétua contra “El Chapo”, que pagará a pena em isolamento completo em uma prisão de segurança máxima nos EUA.

“Eu lamento muito que esses casos ocorram. Eu não quero que ninguém esteja preso, ou em um hospital, que ninguém sofra. Sou um idealista”, disse Obrador. “Quando todas essas coisas que acontecem terminam em condenações como essa, uma condenação para ficar na prisão o resto da vida, em uma prisão hostil, dura, desumana, sim, isso me comove", disse o presidente, destacando que também tem “em perspectiva as muitas vítimas” da violência do narcotráfico.

Desde o final de 2006, quando o governo do México lançou uma polêmica e intensa ofensiva militar para enfrentar os cartéis, mais de 250 mil pessoas foram assassinadas, e 40 mil estão desaparecidas, segundo dados oficiais, que não especificam quantas dessas vítimas estão ligadas ao crime organizado.

NOTÍCIA RELACIONADA

Narcotraficante El Chapo é condenado à prisão perpétua