Teresina - PI

Procon e Inmetro fiscalizam Posto Bola em Teresina após denúncia

Durante a vistoria, não foi constatado nenhuma irregularidade. O fiscal do Procon, Arimatéia Arêa Leão, informou que foram realizados todos os procedimentos necessários.

Brunno Suênio
Teresina
Laura Moura
Teresina
- atualizado

Procon fiscaliza Posto Bola na zona sul de Teresina

Fiscais do Procon e do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) realizaram uma fiscalização em um posto de combustíveis da Rede Bola, situado no cruzamento entre as Avenidas Gil Martins e Barão de Castelo Branco, zona sul de Teresina, após a circulação de um vídeo nas redes sociais onde um cliente, não identificado, denuncia uma possível irregularidade no abastecimento de veículos.

Durante a vistoria, não foi constatada nenhuma irregularidade. O fiscal do Procon, Arimatéia Arêa Leão, informou que foram realizados todos os procedimentos necessários. “Nós verificamos que não existe nenhuma irregularidade no posto. O que poderia ter acontecido, ou seja, uma possiblidade, uma fraude por parte do frentista, mas nada foi constatado. O posto está regular, o INMETRO fez a aferição, fizemos os ensaios, registramos a bomba funcionando e foi constatado que a bomba só funciona se passar o cartão. Queremos tranquilizar a sociedade, pois esse posto tem mais de 20 anos e o posto se preocupa muito em não colocar situações falsas e colocar para o consumidor que ele também tem que fiscalizar e verificar se a bomba está zerada. Além disso, nós temos um laudo da ANP mostrando que o posto está regular”, esclareceu.

Os representantes do posto de combustível Bola estiveram presentes na fiscalização. Para a advogada da empresa, Poliana Oliveira, o próprio vídeo demonstra que não há irregularidades no estabelecimento, pois a bomba está zerada. “Infelizmente, existem pessoas que se aproveitam da situação, difamam e caluniam o posto sem uma prova concreta, porque no próprio vídeo que circula nas redes sociais, a bomba está zerada. O fato dela estar zerada já demonstra que seria impossível o frentista lesar o cliente. O vídeo só mostra que a bomba estava no local indevido, mas que não provocou e nem provocaria nenhum tipo de lesão ao consumidor, pois para as bombas do posto funcionar é necessário que seja passado um cartão magnético dos frentistas”, informou.

Além dos postos de combustíveis, o consumidor deve também fazer a sua parte de observar se não há nenhuma irregularidade durante o abastecimento. O GP1 conversou com um dos clientes do posto Bola, o Alexandre da Silva, que admitiu que nem sempre fica atento quando vai abastecer o seu veículo. “Quando eu vou abastecer, quando eu observo, eu vejo se a bomba está zerada, mas eu quase não observo, pois ando apressado”, admitiu.

Mais conteúdo sobre: