Teresina - PI

Procon e Inmetro fiscalizam Posto Mais em Teresina após denúncia

Os órgãos não constataram irregularidades na bomba de combustível do posto.

Brunno Suênio
Teresina
Laura Moura
Teresina
- atualizado

Fiscalização no Posto Mais em Teresina

Fiscais do Procon e do IMEPI, representante do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) no Estado, realizaram uma fiscalização no Posto Mais, situado no bairro Parque Piauí, zona sul de Teresina, nesta terça-feira (06), após a circulação de um vídeo nas redes sociais em que uma consumidora denuncia o estabelecimento por conta de suposta irregularidade em uma bomba de combustível.

No vídeo, a mulher afirma que a bomba mostra que foi vendido a um cliente, 2,6 litros de diesel, correspondendo a R$ 9,80. Entretanto, ela garante que no galão não há essa quantidade de combustível.

O fiscal do Procon, Arimatéria Leão, responsável por receber a denúncia, esteve presente durante a fiscalização no estabelecimento e garantiu que nenhuma irregularidade foi constatada no posto. Ele também chamou a atenção da população sobre a circulação de informações falsas. “É um direito do consumidor exigir do posto a aferição, a qualidade do produto, do teor do combustível. E, diante dessa reclamação, prontamente, o IMETRO que já estava em campo, fez a aferição e não foi constatada nenhuma irregularidade. Ou seja, é mostrar para a sociedade que não devemos colocar [em redes sociais] informações que você não tenha certeza. A consumidora poderia ter pedido a aferição naquele exato momento”, afirmou.

O diretor do IMEPI, Maicon Danilo Monteiro, explicou que os profissionais receberam a denúncia, através do Procon, e em menos de uma hora foram ao local constatar a veracidade do fato. “No que já foi analisado até agora, não foi constatada a irregularidade”, afirmou.

O coordenador da Rede dos Postos Mais, Anorcio Andrade, contou que o próprio cliente que aparece no vídeo não verificou nenhuma irregularidade. “Na verdade, o vídeo foi recebido com uma grande surpresa, porque esse cliente está aqui todos os dias. Todos os dias ele compra esse mesmo volume de produto e o que nós verificamos é que não há nenhuma irregularidade com a bomba, até porque nós fazemos esse mesmo procedimento que o IMETRO está fazendo hoje, semanalmente. Verificamos com o cliente e ele nos disse que não viu nenhuma irregularidade, que ele achava que podia estar menor”, afirmou Anorcio Andrade.

Anorcio destacou também que os clientes possuem o direito de pedir o teste de qualidade e quantidade do produto, caso eles se sintam prejudicados. “Todo e qualquer cliente, ao chegar no posto, se ele achou ou entendeu que possa estar sendo prejudicado, tanto em quantidade quanto em qualidade, os nossos gerentes estão preparados para fazer as aferições que gerarão a possibilidade de mantenedora de quantidade e preparados para mostrar a qualidade do produto. Então é feito tanto o teste de qualidade quanto de quantidade. Todo cliente tem direito a esses dois testes. Isso é uma obrigação nossa”, completou.

Mais conteúdo sobre: