Barro Duro - PI

Promotor investiga gastos do prefeito Dr. Deusdete no Carnaval

Na portaria de nº 04/2018, o promotor disse que a subsistência dos servidores é mais importante que a realização de festas.

BÁRBARA RODRIGUES
DE TERESINA
- atualizado

O promotor Rafael Maia Nogueira, do Ministério Público do Estado do Piauí, instaurou no dia 7 de fevereiro um procedimento preparatório de inquérito civil com o objetivo de investigar como o prefeito de Barro Duro, Deusdete Lopes da Silva, mais conhecido como Dr. Deusdete, fez os gastos de recursos públicos no carnaval.

Rafael Maia destacou que chegou a ser expedida uma recomendação ao prefeito sobre a aplicação de recursos públicos no carnaval e a necessidade de não prejudicar a situação financeira do município de Barro Duro.

  • Foto: Facebook/Deusdete LopesDeusdete LopesDeusdete Lopes

O promotor explicou que moradores de várias cidades do Estado do Piauí, “presenciam a utilização de recursos públicos para realização de festas e shows artísticos em detrimento da falta do regular funcionamento dos serviços públicos, especialmente, no que se refere ao atraso e inadimplemento de pagamento de servidores públicos”.

Na portaria de nº 04/2018, o promotor disse que a subsistência dos servidores é mais importante que a realização de festas e que é importante “proteção do direito aos alimentos dos servidores, e ao mesmo tempo a lisura administrativa” e que “eventual inobservância do inteiro teor da Recomendação PGJ-PI n.°02/2018 pela Prefeitura Municipal de Barro Duro, uma vez comprovada, afigurar-se-ia sobremaneira grave, razão pela qual merece averiguação e acompanhamento ministerial local”.

Determinou ainda que o prefeito seja notificado para prestar informações e esclarecimentos sobre o caso, para se manifestar especialmente se o município de Barro Duro procedeu a gastos com festividades para o Carnaval de 2018, na eventual pendência de quitação - parcial ou integral - da remuneração dos servidores públicos municipais, ainda que ocupantes de cargos comissionados e contratados temporários, bem como inativos.

Outro lado

Procurado pelo GP1 nesta sexta-feira (23), o prefeito não foi localizado para comentar a investigação do Ministério Público. O GP1 está aberto a esclarecimentos.