Piauí

Promotor investiga professores acusados de assédio sexual no IFPI

A investigação foi aberta pelo promotor Francisco de Jesus Lima, do Núcleo das Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (Nupevid).

Wanessa Gommes
Teresina
- atualizado

O Ministério Público do Estado do Piauí, através do Núcleo das Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (Nupevid), instaurou notícia de fato, no dia 7 de março, para investigar denúncias de assédio sexual e importunação sexual no Instituto Federal do Piauí (IFPI).

De acordo com o promotor Francisco de Jesus Lima, o órgão ministerial recebeu denúncias sigilosas acerca da supostas práticas de crimes contra a liberdade sexual (assédio sexual e importunação sexual) praticados por professores do IFPI tendo como vítimas estudantes da instituição.

  • Foto: Lucas Dias/GP1IFPIIFPI

O membro do MP determinou a notificação do reitor Paulo Henrique Gomes de Lima para que envie cópias de todos os procedimentos administrativos disciplinares instaurados no âmbito da instituição, nos últimos cinco anos, referentes aos casos de crimes contra a liberdade sexual, praticado contra estudantes dos campus existentes no estado do Piauí, no prazo de 20 dias.

Outro lado

Procurada, nesta sexta-feira (14), a assessoria de comunicação do IFPI informou que já foi recebida a notificação e que ela foi encaminhada para a Controladoria Interna que é o setor responsável por apurar todos os processos administrativos disciplinares.

Ainda de acordo com a assessoria, a Controladoria Interna vai fazer apuração para verificar se houve e quantos casos são relativos a essa temática da investigação do MP e vai enviar para a o promotor todas as informações dentro do prazo que foi dado, que é de 20 dias.

Foi explicado ainda que todos os processos administrativos têm o seu rito e que caso seja verificada alguma conduta que desvie ou seja reprovável as medidas administrativas cabíveis são tomadas.