Saúde

Reajuste de medicamentos fica adiado por 60 dias, diz Bolsonaro

Anúncio foi feito pelo Facebook após reunião de Bolsonaro com ministros no Palácio do Planalto.

Por  Estadão Conteúdo
- atualizado

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira, 31, que houve um acordo com a indústria farmacêutica para a suspensão de reajustes nos preços de medicamentos no País pelos próximos dois meses. O anúncio foi feito pelo Facebook após reunião de Bolsonaro com ministros, no Palácio do Planalto.

"Em comum acordo com a indústria farmacêutica decidimos adiar, por 60 dias, o reajuste de todos os medicamentos no Brasil", escreveu o presidente na rede social.

Na semana passada, a ideia do governo era adiar o reajuste anual dos medicamentos que poderiam ser usados em pacientes com o novo coronavírus. A medida seria direcionada para seis substâncias, entre elas produtos à base de cloroquina, que estão sendo testados em pacientes graves da covid-19.

Hoje, de acordo com o presidente, haveria um acordo mais amplo do que o previsto.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Bolsonaro deve destacar fala de diretor da OMS em cadeia nacional de TV

Vídeo de Bolsonaro é removido do Facebook por defesa da cloroquina