Palmeirais - PI

Reginaldo Júnior nega irregularidade na aplicação de recursos

Em nota o prefeito afirmou que os valores estão sendo devidamente aplicados e sendo utilizados na melhoria da educação no município.

BÁRBARA RODRIGUES
DE TERESINA
- atualizado

O prefeito de Palmeirais, Reginaldo Júnior, encaminhou ao GP1 uma nota de esclarecimento referente à matéria publicada nesta segunda-feira (22), intitulada “Reginaldo Júnior é denunciado por uso irregular de recursos do Fundef”.

O agropecuarista Adalgiso Soares Teixeira protocolou no Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI), no dia 15 de janeiro, uma denúncia contra o prefeito de Palmeirais, alegando que o município recebeu R$ 13.672.873,86 milhões referente ao precatório do Fundef, sendo que parte desse dinheiro deveria ser usado como abono aos professores e demais servidores da rede municipal de ensino, mas que o prefeito não estaria aplicando de forma regular esses valores.

  • Foto: Facebook/Reginaldo JúniorPrefeito Reginaldo JúniorPrefeito Reginaldo Júnior

Em nota o prefeito afirmou que os valores estão sendo devidamente aplicados e sendo utilizados na melhoria da educação no município. Destacou que: “Palmeirais foi um dos poucos municípios do Piauí que realizou o pagamento do abono para professores, utilizando 60% dos precatórios do Fundef”.

Reginaldo Júnior afirmou que os demais valores referentes ao precatório foram devidamente aplicados e que não há nenhuma irregularidade. “Os demais valores referentes ao recurso foram aplicados exclusivamente na melhoria e desenvolvimento do ensino, como preconiza a lei, não havendo, portanto, nenhuma irregularidade. Entre os gastos realizados estão a aquisição de livros para educação infantil, reforma de colégios, manutenção dos transportes escolares, entre outros”, afirmou.

Confira a nota na íntegra:

Palmeirais foi um dos poucos municípios do Piauí que realizou o pagamento do abono para professores, utilizando 60% dos precatórios do Fundef. Os demais valores referentes ao recurso foram aplicados exclusivamente na melhoria e desenvolvimento do ensino, como preconiza a lei, não havendo, portanto, nenhuma irregularidade. Entre os gastos realizados estão a aquisição de livros para educação infantil, reforma de colégios, manutenção dos transportes escolares, entre outros.