Teresina - PI

Renato Berger deve se filiar ao PSD nos próximos dias

Cabe acrescentar que o suplente era integrante da base de sustentação do prefeito da Capital Firmino Filho (PSDB).

Germana Chaves
Teresina

A cúpula do PSD vai se reunir na tarde desta quarta-feira (26), em Teresina, para discutir as estratégias do partido visando as eleições de 2020. Uma das principais pautas será a filiação do suplente de vereador Renato Berger que está de malas prontas para deixar o Podemos e migrar para o partido do deputado estadual Georgiano Neto, que está colocado como pré-candidato à Prefeitura de Teresina.

Se tudo transcorrer dentro do previsto pelo grupo, Renato Berger deverá oficializar a mudança para o PSD já nesta semana. Cabe acrescentar que o suplente era integrante da base de sustentação do prefeito da Capital Firmino Filho (PSDB), mas em recente entrevista ao GP1, ele revelou o incômodo com o tratamento que vinha recebendo do Palácio da Cidade. Ele afirmou que estava se sentindo desprestigiado pelo tucano.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Renato Berger será candidato a deputado federalRenato Berger

A situação abriu portas para o rompimento da aliança entre os dois, após anos de parceria político/administrativa. As reclamações de Berger também recaíram sobre o Podemos. Assim como fez com Firmino, o suplente também reclamou do descaso do partido para com ele.

"Não vejo articulação no Podemos para formar uma chapa de vereadores, para propiciar um trabalho nosso. Não tenho percebido um esforço do Podemos para que eu permaneça”, reclamou Berger na oportunidade.

O impasse

Renato também falou sobre o imbróglio que motivou o estremecimento da relação com o prefeito e afirmou que o Firmino não cumpriu o acordo feito entre eles.

"O trato era que os dois primeiros suplentes de cada partido ou iriam para secretaria ou seriam chamados para Câmara. Eu fui pra Semel, mas, ele me chamou e disse que precisava acomodar o PP e eu disse a ele que entendia, mas, o deputado Júlio Arcoverde (PP) voltou pra Assembleia e o correto era eu voltar pra lá ou ir para outro lugar como acordado, o que não aconteceu. Então me senti preterido sim. Ajudei a eleger a esposa do prefeito e sempre o apoiei", disparou Berger.

O Podemos

O GP1 conversou com o presidente do Podemos no Piauí, o senador Elmano Férrer e ao comentar as reclamações de Berger, afirmou que não tinha nada a oferecer ao suplente.

“Estamos com dificuldades estruturais e de fazer determinadas ações. Vivemos um momento diferente, antes se fazia política com cargos e benesses, agora não vejo abertura para isso. Defendo que temos que mudar. Hoje para trazer qualquer liderança do interior ou da capital tem que ser em troca de algo e eu não tenho nada a oferecer. Sou muito franco”, disparou Elmano.

OTICIAS RELACIONADAS

Renato Berger diz que foi descartado pelo prefeito Firmino Filho

Elmano Férrer diz que não tem nada a oferecer a Renato Berger