Teresina - PI

Sasc vai investigar denúncia de tortura no CEM em Teresina

Por meio de um documento, o Comitê de Prevenção e Combate à Tortura denunciou que os agentes socioeducadores levam e comercializam drogas na unidade.

Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

A Secretaria Estadual de Assistência Social (SASC) confirmou nesta sexta-feira (21) que vai abrir uma investigação sobre a denúncia de tortura e maus-tratos contra adolescentes do Centro Educacional Masculino (CEM), em Teresina.

A denúncia foi feita pelo Comitê de Prevenção e Combate a Tortura no Piauí no dia 19 de junho para o site UOL. Conforme a denúncia do Comitê, os agentes socioeducadores levam e comercializam drogas para os internos, além de já ter agredido um jovem portador de esquizofrenia e obrigar os internos a sentarem sem roupas no pátio da unidade sob o sol quente.

Por meio de um documento, o Comitê de Prevenção e Combate à Tortura informou que mães de internos já encontraram seus filhos sob efeito de drogas. Referente às torturas, o comitê denunciou que os jovens apanham com socos, pancadas de cassetete de borracha e de madeira. Além disso, há denúncias de que os socioeducadores estariam jogando gás de pimenta nos internos.

"Mães já encontraram o filho drogado lá dentro. Os agentes socioeducadores Mozart, Cléber, Nelson e Osmar retiraram dois garotos de dentro da cela, mandaram encostar na parede e tirar a roupa. Arrebentaram a cara dos garotos, os surraram de murro, de pesada, de cassetete de borracha, de cassetete de madeira, jogaram gás de pimenta e os colocaram sentados no pátio quente, de frente para a parede e com as mãos na cabeça", informou o comitê para o UOL.

  • Foto: Divulgação/Comitê de Prevenção e Combate à TorturaJovem que sofreu agressão no CEMJovem que sofreu agressão no CEM

Má higiene

Ainda conforme a denúncia, os internos ficam alojados em unidades sem condições de higiene básica, onde o esgoto corre a céu aberto. Junto com um grupo de mães, o comitê protocolou um pedido de afastamento da direção e de agentes e o caso foi levado para o Tribunal de Justiça.

"As baratas estão entrando no ouvido dos adolescentes, e dois já tiveram que ir para o hospital com infecção no ouvido. O médico tirou uma barata de dentro do ouvido de um deles. O Governo não dá um colchão para um adolescente deitar, dormem no chão, doentes sem remédio. Tem adolescente que escova os dentes dividindo a escova com outro colega", afirma o comitê em documento.

SASC

A Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos do Piauí (SASC) já havia informado para o UOL que os procedimentos que são realizados no CEM obedecem ao Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Nesta sexta-feira (21), a assessoria da secretaria ressaltou que o caso ocorreu há menos de dois meses e que devido a isso foi aberto um inquérito policial para apurar os fatos.

NOTÍCIA RELACIONADA

Comitê denuncia que adolescentes sofrem tortura no CEM em Teresina