Teresina - PI

Sebrae inicia Semana do Microempreendedor Individual em Teresina

Francisco Holanda, gerente estadual de Atendimento Individual e Mercado do Sebrae, destacou que o evento é nacional e que, no Piauí, serão realizadas 150 palestras e oficinas.

Wanessa Gommes
Teresina
Débora Dayllin
Teresina
- atualizado

Semana do Microempreendedor Individual no Sebrae no Piauí

Aconteceu, na noite desta segunda-feira (20), na sede do Sebrae no Piauí, em Teresina, a abertura da Semana do Microempreendedor Individual (MEI) e da Semana Nacional de Educação Financeira. As atividades acontecerão em 60 cidades piauienses.

Francisco Holanda, gerente estadual de Atendimento Individual e Mercado do Sebrae, destacou que o evento é nacional e que, no Piauí, serão realizadas 150 palestras e oficinas. “Nós estamos realizando a Semana do MEI, que acontece a nível nacional, onde aqui no Piauí estamos realizando em 60 municípios. É voltada para o microempreendedor individual onde a gente está trazendo informação e conhecimento por intermédio de 150 palestras e oficinas”, afirmou.

“A semana tem o objetivo de trazer conhecimento, formação e gestão para o microempreendedor para que ele possa, a partir daí, melhorar a gestão do seu próprio negócio”, declarou Francisco que ressaltou que hoje, no Brasil, existem em torno de 3,3 mil microempreendedores individuais, 68 mil no Piauí e 28 mil em Teresina.

Ele enfatizou ainda a importância de se tornar um microempreendedor individual. “É uma modalidade importantíssima porque a partir do momento que você sai da informalidade e passa a ser MEI, você passa a estar totalmente legal, onde pode ter até um funcionário de carteira assinada, pode participar de licitação, comprar e vender, emitir nota fiscal”, afirmou.

A palestrante Mirna Borges, do Canal Economirna no Youtube, explicou como a educação financeira apareceu na vida dela, já que ela é formada em engenharia mecânica. “A educação financeira surgiu na minha vida quando eu precisei cuidar do meu dinheiro, acho que todo mundo precisa de educação financeira”, contou.

“Quando eu cometi alguns erros com os salários que eu tinha recebido cheguei para a gerente do banco e ela se propôs a investir o meu dinheiro, e eu aceitei tudo que ele me ofereceu. Depois que eu saí de lá eu falei ‘agora vou entender o que eu fiz com meu dinheiro’”, lembrou.

Mirna disse ainda que depois que começou a conhecer mais sobre o assunto passou a gostar mais da educação financeira. “Depois que eu passei a estudar cada vez mais sobre o assunto eu passei a gostar do que eu estava aprendendo e perguntava as pessoas à minha volta e via que existia uma deficiência muito grande desde o economizar ou poupar até investir. A maioria da população brasileira não sabe investir o dinheiro, a única forma de investimento que conhecem é a poupança”.

“Se a gente não organiza as finanças da empresa a gente não sabe nem onde cortar gastos e nem qual lucratividade do nosso negócio, tem o passo a passo que a gente deve tomar para cuidar das finanças desde quando a gente é micro, pequeno para que a gente possa evoluir. Planejamento financeiro é fundamental tanto na empresa quanto na vida pessoal”, declarou.

Para Mirna, sempre é possível fazer um planejamento financeiro. “Basta querer e não é difícil é simples fazer planejamento financeiro e ninguém melhor do que nós mesmos para cuidarmos do nosso dinheiro, nós somos os responsáveis pela nossa vida financeira e como ela anda hoje. Se a gente começasse a conscientizar, desde o primeiro salário que a gente recebe, a poupar uma parte disso e a investir, com certeza, lá na frente, você vai agradecer por ter começado”, finalizou.

Mais conteúdo sobre: