Brasil

Sete conselheiros do TCE-MS receberam R$ 1,4 milhões em 2 meses

Valores de remuneração básica bruta e de 'outros pagamentos' foram pagos aos conselheiros em janeiro e em fevereiro deste ano.

Por  Estadão Conteúdo
- atualizado

Os sete conselheiros do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul receberam, segundo Portal da Transparência da Corte, R$ 1,4 milhão de janeiro a fevereiro. O montante é composto pela remuneração básica bruta total de R$ 557.566,61 e por ‘outros pagamentos legais ou judiciais’ que alcançam R$ 919.588,44. Não recai sobre ‘outros pagamentos’ cobrança de imposto de renda.

O Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul informou que ‘outros pagamentos’ são valores ‘legais’ e estão descritos no Portal da Transparência. Segundo a Corte, as verbas ‘são temporárias e de caráter indenizatório’.

  • Foto: Divulgação/TCE-MSConselheiros do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul Conselheiros do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul

Os vencimentos dos conselheiros nos dois primeiros meses do ano foram de cerca de R$ 35,4 mil mensais para cada um. A categoria ‘outros pagamentos’ variou entre R$ 33.759,45 e R$ 74.549,31, em janeiro, e entre R$ 67.361,69 e R$ 147.802,04 em fevereiro.

O presidente do Tribunal, conselheiro Iran Coelho das Neves, foi nomeado para a Corte em julho de 2009. Em janeiro, ele recebeu R$ 74.549,31 por ‘outros pagamentos’. No mês seguinte, R$ 102.919,25.

A Corte pagou R$ 42.597,30, em janeiro, ao corregedor-geral Ronaldo Chadid sob a rubrica ‘outros pagamentos’. Em fevereiro, o conselheiro empossado em 2012 recebeu R$ 147.802,04, o maior valor no período.

Ao vice-presidente do Tribunal, Flávio Kayatt, foram transferidos R$ 42.805,07 em janeiro e R$ 71.175,00 em fevereiro por ‘outros pagamentos’. O conselheiro foi empossado em 2017.

Alçado ao cargo de conselheiro em 2015, o ouvidor Osmar Domingues Jeronymo recebeu R$ 37.235,31 em janeiro e R$ 136.529,69 em fevereiro.

Ao conselheiro Waldir Neves Barbosa, empossado em 2009, foram pagos R$ 33.759,45 no primeiro mês do ano e R$ 77.801,99 no segundo. Ambas as transferências a título de ‘outros pagamentos’.

Conselheiro da Corte desde 2015, Jerson Domingos recebeu verbas de R$ 38.991,75 em janeiro e de R$ 67.361,69 em fevereiro.

A Marcio Monteiro, empossado em 2017, foram pagos R$ 39.392,88 no início do ano e R$ 67.762,82 no segundo mês de 2019.

COM A PALAVRA, O TRIBUNAL DE CONTAS DE MATO GROSSO DO SUL

“São verbas legais, estão descritas no Portal da Transparência, são temporárias e de caráter indenizatório.”