São Raimundo Nonato - PI

Sete municípios ficam sem água após rompimento de adutora no Piauí

O trecho onde houve o rompimento vem apresentando vazamentos constantemente e fica entre a Estação de Tratamento de Água (ETA) e a zona urbana de São Raimundo Nonato.

Fábio Wellington
Teresina
- atualizado

Sete cidades da região Sul do Piauí estão com o abastecimento de água comprometido desde a noite desta segunda-feira (17), após o rompimento da Estação de Tratamento de Água (ETA), que fica às margens da BR 020, na zona rural de São Raimundo Nonato.

Segundo a Agespisa, empresa responsável pelo abastecimento de água no interior do Piauí, além de São Raimundo Nonato, as cidades de Dirceu Arcoverde, São Lourenço, Bonfim do Piauí, Várzea Branca, São Brás do Piauí e do povoado Minador, em Anísio de Abreu estão com o abastecimento interrompido.

Ainda de acordo com a empresa, técnicos e equipamentos foram enviados em caráter de emergência para corrigir o vazamento. E por conta da alta complexidade do serviço, ainda não há previsão para a retomada do abastecimento.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, é possível ver como ficou a área afetada minutos após o rompimento. Nas imagens que foram gravadas por um motociclista que passava pela BR 020, mostra a altura e a grande quantidade de água que escorria pela rodovia.

Confira a nota na íntegra

A Agespisa mobilizou técnicos e equipamentos dos setores de Obras e Operação para atuar em caráter emergencial na correção de um grande vazamento que deixou sem água a cidade de São Raimundo Nonato e mais seis cidades na região. Por conta da complexidade do serviço, ainda não há previsão para retomada do abastecimento.

Além de São Raimundo Nonato, o problema atinge os moradores dos municípios de Dirceu Arcoverde, São Lourenço, Bonfim do Piauí, Várzea Branca, São Brás do Piauí e do povoado Minador, em Anísio de Abreu.

O trecho onde houve o rompimento vem apresentando vazamentos constantemente e fica entre a Estação de Tratamento de Água (ETA) e a zona urbana de São Raimundo Nonato.

Em agosto do ano passado, a Agespisa realizou uma força-tarefa e substituiu 300 metros de tubos da Adutora do Garrincho com o objetivo de sanar parte dos problemas. Há cerca de seis anos, outro importante trecho foi todo refeito pela Agespisa, a um custo aproximado de R$ 11 milhões.

A Adutora do Garrincho tem uma extensão de 39 quilômetros. O bombeamento é feito do Açude Petrônio Portella, onde a água é captada, até a Estação de Tratamento de Água, num percurso de 22 quilômetros. Daí para São Raimundo Nonato são mais 17 quilômetros.

Mais conteúdo sobre: