Economia e Negócios

Taxa de desemprego fica em 13,7% na primeira semana de setembro

Número significa uma queda em relação aos 14,3% registrados na semana anterior; número de desempregados caiu de 13,7 milhões para 13 milhões, mas IBGE considerou o número 'estável'.

Por  Estadão Conteúdo

A taxa de desemprego ficou em 13,7% na semana de 30 de agosto a 05 de setembro, ante os 14,3% registrados na semana anterior, segundo dados da pesquisa Pnad Covid-19, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, 25. Na primeira semana de maio, quando a pesquisa começou a ser feita, a taxa era de 10,5%.

Segundo o IBGE, 13 milhões de pessoas estavam sem trabalho na primeira semana do mês, resultado considerado estável em relação à semana anterior, quando eram 13,7 milhões.

A população ocupada ficou em 82,3 milhões, o que representa estabilidade com pequena tendência de aumento que vem ocorrendo desde meados de julho. “Essa recuperação recente vem se dando especialmente entre os trabalhadores informais (28,5 milhões), que foram os mais atingidos no início da pandemia”, afirmou a coordenadora da pesquisa, Maria Lucia Vieira. A taxa de informalidade foi de 34,6%.

Maria Lucia também observa que o único indicador que mostrou uma variação significativa foi o da população ocupada que estava afastada, que caiu para 5,5 milhões na comparação com a semana anterior (6,1 milhões). Em maio, início da pesquisa, 20 milhões de pessoas estavam afastadas do trabalho.

Essa proporção ficou estatisticamente estável em relação à semana anterior (4,4%) e bem abaixo da primeira semana da pesquisa, de 3 a 9 de maio (19,8%).

Mais conteúdo sobre: