Brasil

Temer diz que entregará 'estrada asfaltada' a Jair Bolsonaro

Temer afirmou que começou um governo "do zero" após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e que agora entregará uma "estrada asfaltada" para o sucessor. 

Por  Estadão Conteúdo

A menos de dois meses de deixar o governo, o presidente da República, Michel Temer, ensaiou um discurso de "dever cumprido" ao falar na abertura do Salão do Automóvel, em São Paulo, nesta quinta-feira, 8. Um dia depois de se reunir com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, Temer afirmou que começou um governo "do zero" após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e que agora entregará uma "estrada asfaltada" para o sucessor.

"Disse (a Bolsonaro): olha, estou fazendo o possível pra lhe entregar uma estrada asfaltada. Nós pegamos uma estrada esburacada e estamos lhe entregando uma estrada asfaltada, pode correr com seu veículo, nomeado que foi pelo povo brasileiro, ou venha ao Salão do Automóvel e adquira um automóvel, e trilhe esse caminho certo que nós abrimos", discursou Temer.

  • Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão ConteúdoMichel Temer durante evento em BrasíliaMichel Temer durante evento em Brasília

Comentando a transição com Bolsonaro, o atual presidente classificou o processo como civilizado e garantiu que todos os dados estão sendo transmitidos à equipe do presidente eleito. Em meio à dúvida se será possível votar algo da reforma da Previdência ainda neste ano, Temer não citou que propostas pretende encaminhar antes de terminar o mandato. Apenas disse que "muita coisa há pela frente" e que está conversando com o governo eleito sobre "aquilo que foi feito e que ainda deve ser feito".

Ao fazer um balanço de sua gestão, Temer disse que enfrentou um "bombardeio" da oposição de um lado e "tramas" de outro lado que queriam derrubar seu governo. "Mas nós estamos aqui", declarou, citando que terminará seu mandato e sendo aplaudido por empresário do setor automobilístico. Como fez em discursos anteriores, o presidente afirmou que há "harmonia absoluta" entre os Poderes e que durante seu governo houve cooperação entre os setores privado e público.

A cerimônia de abertura do evento ocorreu enquanto o Senado aprovava a medida provisória do novo regime automotivo, chamado de Rota 2030, cujo decreto de regulamentação foi assinado pelo presidente logo em seguida.

Temer declarou ter ficado "aflito" se haveria quórum e votos suficientes para aprovação e revelou satisfação com a confirmação do programa. Antes e depois de sua fala, o presidente visitou diversos setores da feira e afirmou que com o Rota 2030 haverá ainda mais investimentos tecnológicos na produção de veículos no País.

Mais conteúdo sobre: