Teresina - PI

Teresina registra quatro mil multas de trânsito por uso de celular

Conforme a Strans, atualmente os motoristas realizam três tipos de infrações relacionadas ao uso do aparelho celular no trânsito, sendo que não é permitido manusear, utilizar ou segurar o celular.

Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

O uso do celular no trânsito aumenta em 400% o risco de acidentes, conforme apontou estudo do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Em Teresina já foram registradas mais de quatro mil multas devido ao uso do aparelho.

De acordo com a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), atualmente os motoristas realizam três tipos de infrações relacionadas ao uso do aparelho celular no trânsito, sendo que não é permitido manusear, utilizar ou segurar o celular. Uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde também já apontou que um em cada cinco brasileiros admite usar o celular enquanto dirige.

O uso do aparelho celular enquanto dirige é proibido pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Não chega a ser considerado crime de trânsito, contudo, é infração gravíssima, com multa no valor de R$ 293,47 e aplicação de 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

  • Foto: Lucas Dias/GP1Carros formam filasCarros formam filas

2ª capital onde mais se bebe e dirige

O Ministério da Saúde divulgou, nesta segunda-feira (24), dados de estudo realizado pelo Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), em 2018, que mostra o número de condutores que conduziram veículos após consumo de bebida alcoólica, dentre outros dados.

Segundo o estudo, Teresina é a 2ª capital com o maior número de motoristas que dirigem sob efeito de álcool, com 12,4%. A primeira é Palmas (14,2%), em terceiro lugar está Florianópolis (12,1%) seguida de Cuiabá (9,9%) e Boa Vista (9,3%). Já as capitais que apresentaram os menores índices são: Recife (2,2%); Rio de Janeiro (2,9%); Vitória (3,2%); Salvador (3,6%) e Natal (4,2%).

Vigitel

O Vigitel é uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde que desde 2006 monitora diversos fatores de risco e proteção relacionados à saúde, incluindo a temática de trânsito, em todas as capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal. Nesta edição foram entrevistadas por telefone 52.395 pessoas, maiores de 18 anos, entre fevereiro e dezembro de 2018.

NOTÍCIA RELACIONADA

Teresina é a 2ª capital onde mais se bebe e dirige, aponta estudo