Teresina - PI

Teresinha Medeiros diz que Bolsonaro não precisa do PSL para governar

"O Bolsonaro não precisa de partido para fazer o trabalho dele”, declarou Teresinha Medeiros.

Jonas Carvalho
Teresina
- atualizado

A relação estremecida entre o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o chefe da Executiva Nacional do PSL, o deputado federal pernambucano Luciano Bivar, deve ser motivo para o enfraquecimento do partido no Piauí caso o imbróglio resulte na saída de Bolsonaro da legenda. Isso é o que disse a vereadora de Teresina, Teresinha Medeiros, durante entrevista ao GP1 na manhã desta quinta-feira (10).

A parlamentar nega que situação seja resolvida de forma imediata, mas entende que o atual presidente do Brasil não necessite de uma agremiação partidária para manter o atual método de governo.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Teresinha MedeirosTeresinha Medeiros

“Nós temos muitos simpatizantes do Bolsonaro filiados no partido. Mas eu não acredito na saída dele repentina. Eu acredito que isso deva demorar, até porque ele e o Bivar estão nessa disputa de quem fica com o partido, digamos assim. Até porque o Bolsonaro não precisa de partido para fazer o trabalho dele”, declarou Teresinha Medeiros.

A parlamentar reforçou apoio ao gestor nacional, no entanto, em Teresina segue alinhada ao ideal político do prefeito Firmino Filho (PSDB). “Eu votei no Bolsonaro, eu sou bolsonarista a nível nacional, mas a nível local eu comungo com a atual gestão”, concluiu.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Jair Bolsonaro busca saída jurídica para deixar PSL

Em apoio a Bolsonaro, deputados do PSL cobram ‘novas práticas’ de Bivar

Aliados de Bolsonaro afirmam que situação no PSL é ‘insustentável’

Teresinha Medeiros é contra saída do PSL da base de Firmino Filho

Vereadora Teresinha Medeiros diz que falta voz de comando no PSL