Patos do Piauí - PI

TJ nega liberdade a condenado por assassinar desafeto no Piauí

A vítima estava trafegando em uma motocicleta quando foi abordada por um homem que efetuou dois tiros que atingiram o peito e a cabeça da vítima.

Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

A 2ª Câmara Especializada Criminal do Tribunal de Justiça do Piauí negou o pedido de habeas de corpus de Agrimar Francisco da Silva, condenado a 26 anos de prisão por assassinar Raimundo Germano da Costa a tiros no dia 15 de setembro de 2018 em Patos do Piauí.

A decisão foi publicada nesta quinta-feira (31) no Diário Oficial Eletrônico. O pedido foi negado por unanimidade pela 2ª Câmara Especializada e o relator foi o desembargador Joaquim Dias de Santana Filho.

Agrimar foi condenado no dia 26 de setembro deste ano pelo juiz Franco Morette Felício de Azevedo. Nos autos, o magistrado considerou que o crime foi realizado por motivo fútil e que não possibilitou defesa para vítima.

  • Foto: Divulgação/PMSuspeito de praticar o crimeSuspeito de praticar o crime

Relembre o caso

Raimundo Germano da Costa, de 39 anos de idade, foi morto com dois disparos de arma de fogo por seu desafeto na tarde do dia 15 de setembro por volta de 15h30, no Povoado Cajueiro, zona rural do município de Patos do Piauí.

Conforme o soldado S. Batista, da Polícia Militar de Paulistana, a vítima estava trafegando em uma motocicleta quando foi abordada por um homem conhecido na região por “Agrimar”. O indivíduo efetuou dois tiros que atingiram o peito e a cabeça de Raimundo, que não chegou a ser socorrido pois veio a óbito no local.

A motivação indicava que teria sido por conta de ciúmes envolvendo a companheira do acusado.

NOTÍCIA RELACIONADA

Homem é assassinado a tiros por desafeto em Patos do Piauí