Miguel Alves - PI

TJ-PI nega liberdade a acusado de vingar morte de empresário

A decisão foi dada pela 2ª Câmara Especializada Criminal do Tribunal de Justiça do Piauí. O grupo apontado como responsável pelas mortes dos presos, era formado por seis pessoas.

Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

A 2ª Câmara Especializada Criminal do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), negou o pedido de habeas corpus de Eder Jerônimo Vaz da Silva, acusado de participar do assassinato de dois presidiários que mataram um empresário piauiense no Maranhão em 2016. A decisão foi dada no último dia 06 de março deste ano.

O empresário identificado como Kaleu Torres, natural de Miguel Alves, foi assassinado com uma facada no peito no dia 09 de fevereiro de 2016. O crime ocorreu em uma festa de carnaval na cidade de Buriti (MA), onde ele residia há mais de três anos.

No dia 15 de fevereiro, populares encontraram os corpos de dois homens em uma lagoa no povoado Pimenteiras em Miguel Alves. Os homens foram identificados com Sabino Neto Cardoso dos Santos e Leonardo Vieira Silva e eram suspeitos de assassinar o empresário Kaleu Torres.

Prisão

O grupo apontado como responsável pelas mortes dos presos, era formado por seis pessoas, que foram presas na Operação Fronteira, no dia 1º de março de 2016. Entre os suspeitos estão a viúva, padrasto, irmão e amigos de Kaleu Torres.

Foram presos, através de mandados de prisão, Vitor Vieira Pontes Torres (irmão), Claudiane Lopes do Nascimento Pereira, Eder Jerônimo Vaz da Silva, Marcones de Pinho Araújo (padrasto), José Iranildo Cunha da Silva, a esposa do empresário, identificada apenas como Renata, não foi apresentada durante a coletiva, mas também foi presa. Totalizando seis presos por participação nos assassinatos, além de Maria Sandra Vaz da Silva, por receptação de moto roubada.

Uma das provas que levou a polícia até eles, foi o registro de câmeras de segurança da cidade, que mostram o carro do empresário, usado no resgate dos presos na delegacia. O veículo foi cedido pela viúva. De acordo com o delegado de Buriti do Maranhão, Josimar Rocha, a retirada dos presos da delegacia foi feita pelo irmão de Kaleu, Vitor Vieira, Éder Claudiane e outra pesssoa que ainda não foi identificada.

Torturados antes de morrer

Leonardo Vieira Silva e Sabino Neto Cardoso dos Santos foram torturados antes de serem assassinados. De acordo com o gerente de policiamento do interior do Piauí, na época do crime, delegado Willame Morais, os crimes chamaram atenção dos policiais pela crueldade. “Eles tiveram os olhos furados, mãos e pés decepados e vísceras expostas. Tudo indica que isso tudo foi feito antes da morte de fato”, declarou.

Morte do empresário

O empresário Kaleu Torres, natural de Miguel Alves (PI), foi assassinado com uma facada no peito. O crime ocorreu em uma festa de carnaval na cidade de Buriti (MA), onde ele residia há mais de três anos.

A confusão iniciou depois que o piauiense teria derrubado, acidentalmente, uma garrafa de bebida de um grupo de jovens. Inconformados, os bandidos teriam perseguido Kaleu que ainda tentou fugir, mas foi alcançado pelos marginais. Dois dos suspeitos foram presos pouco tempo depois.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Empresário piauiense é assassinado com uma facada no Maranhão

Presos raptados de delegacia no MA são achados mortos no Piauí

Acusados de vingar morte de empresário piauiense são apresentados

Mais conteúdo sobre: