Piauí

Tribunal de Justiça decide manter preso vereador Reginaldo Gomes

O parlamentar foi preso, no dia 3 de dezembro, acusado de crimes de roubo majorado, associação criminosa, coação no curso do processo e corrupção de menores.

PRISCILA CALDAS, DO GP1

O Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) recebeu, por votação unânime, denúncia do Ministério Público do Estado (MPE) contra o presidente da Câmara de Socorro do Piauí, Reginaldo Gomes Tavares, preso durante a operação Blindado, José Izaías Borges de Araújo, Ricardo Marcelino de Sousa e José Ailton Barbosa Martins.

O julgamento aconteceu, na sessão desta quarta-feira (9), onde ficou decidido ainda pela manutenção das prisões cautelares dos denunciados. Participaram do julgamento os Desembargadores Joaquim Dias de Santana Filho, Eulália Maria Pinheiro e Erivan José da Silva, esse último foi o relator.

Imagem: Lucas Dias/GP1Vereador Reginaldo Gomes Tavares(Imagem:Lucas Dias/GP1)Vereador Reginaldo Gomes Tavares
Os mesmos são acusados de crimes de roubo majorado, associação criminosa, coação no curso do processo, corrupção de menores e posse ilegal de arma de fogo de uso permitido. A denúncia narra que no dia 30 de novembro de 2015, Daniel Fernandes Rocha, funcionário da loteria Sorte Vida, localizada no município de Socorro do Piauí, foi vítima roubo enquanto transportava um malote contendo a quantia de R$ 18.470,00. Os réus estão presos desde o dia 3 de novembro de 2015.

Em decisão no dia 12 de fevereiro de 2016, o desembargador Erivan Lopes indeferiu os pedidos de revogação de prisão preventiva que foram formulados em favor dos denunciados Ricardo Marcelino de Sousa e do vereador.