Teresina - PI

UFPI recebe unidade móvel do Tribunal Regional Eleitoral

Entre os serviços que serão oferecidos estão o alistamento eleitoral, revisão e transferência de título, cadastramento biométrico e outros.

Jonas Carvalho
Teresina
Willyam Ricardo
Teresina
- atualizado

Cartório móvel é inaugurado nesta segunda-feira na UFPI

A partir dessa segunda-feira (27), começa a funcionar no Estacionamento da Biblioteca Central da Universidade Federal do Piauí (UFPI) o Cartório Móvel do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI) com o objetivo de descentralizar o atendimento de eleitores pendentes junto à Justiça.

De acordo com o desembargador Francisco Paes Landim, presidente do TRE-PI, a extensa dimensão territorial do Piauí dificulta o trabalho da Justiça Eleitoral no estado e validou como positiva a nova ação do TRE tendo em vista a aproximação das eleições municipais.

“O cartório móvel tem esse intuito de servir a uma justiça itinerante. Ele vai aos mais diferentes municípios, vai aos mais diferentes povoados a fim de que a justiça possa estar presente na vida cotidiana das pessoas. É o acesso à Justiça de que fala a Constituição Federal e esse acesso deve ser o mais amplo e o mais fácil possível”, disse o desembargador.

Para o reitor da UFPI, José de Arimatéia Dantas Lopes, a medida servirá para dar assistência aos alunos com situação pendente junto à Justiça Eleitoral e agradeceu aos trabalhos do TRE com o serviço implantado.

“A UFPI tem uma população acadêmica grande, a comunidade acadêmica nossa chega a quase 40 mil pessoas, incluindo estudantes, professores e técnicos, e todos são eleitores. Então, se a UFPI fosse um município, talvez fosse o município com o maior número de eleitores, tirando Teresina. Estando essa unidade móvel aqui, facilita a vida desses novos estudantes na comunidade acadêmica”, agradeceu o reitor.

Entre os serviços que serão oferecidos estão o alistamento eleitoral, revisão e transferência de título, cadastramento biométrico e outros. O público de diversas faixas etárias poderá ser atendido, principalmente os aprovados no Sistema de Seleção Unificada (SISU) que precisam estar com a situação eleitoral regularizada para realizar a matrícula no curso escolhido.