Mundo

Venezuelanos comem comida de cachorro e ração de galinha

Em uma pesquisa nos supermercados da Venezuela, a ONG Provea constatou que os venezuelanos começaram a consumir comida para cachorro e ração de galinha.

ANDRESSA MARTINS

- atualizado

Em uma pesquisa nos supermercados da Venezuela, a ONG Provea constatou que os venezuelanos começaram a consumir comida para cachorro e ração de galinha. Na última quinta-feira (11) quatro pessoas morreram durante saques e confrontos com a polícia.

O diretor da Provea, Carlos Patiño, disse que foi encontrada a presença de uma espécie de embutido congelado para cachorro nas gôndolas de supermercados de Caracas. Em entrevista com a população, a ONG percebeu que elas preparavam o alimento misturando com ovos ou arroz, para disfarçar o sabor.

  • Foto: Miraflores Palace/Handout via ReutersNicolás MaduroNicolás Maduro

“As pessoas estão congelando uma espécie de salsicha para cachorro. É uma mistura de partes não comestíveis de frango: ossos triturados, penas, pele e cartilagem”, afirmou Patiño. “Médicos que consultamos afirmam que o consumo humano desse tipo de produto é altamente perigoso, porque o processamento não segue padrões de higiene”, afirmou.

A ração para galinhas também passou a ser consumida devido à crise econômica vivida pelo país. O salário mínimo é de 456 mil bolívares, equivalente a uma média de R$ 45 reais. O quilo de açúcar custa em média 155 mil bolívares, cerca de um terço do salário mínimo. O litro de leite custa 60 mil bolívares, uma média de 15% do salário mínimo.

Um grupo de economistas enviou uma carta aberta ao presidente Nicolás Maduro afirmando que a inflação de 2018 poderá ser de 400.00%.

Lula apoiou fervorosamente a candidatura de Maduro à presidência da Venezuela em 2013

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB