Corrente - PI

Vereadores denunciam prefeito Gladson Murilo ao Ministério Público

A denúncia foi protocolada na promotoria de Justiça de Corrente/PI em 04 de dezembro de 2019.

Gil Sobreira
Teresina
- atualizado

Vereadores de Corrente/PI protocolaram documento junto ao Ministério Público pedindo a apuração de possíveis atos de improbidade administrativa praticado pelo prefeito Gladson Murilo e a empresa TSC Serviços e Construções Eireli.

Cristovam Aguiar Louzeiro Neto (MDB), Joabe Santana Ferreira (PDT), Flávio Rivelino Cavalcanti Barros (PTB) e Valéria Lemos Nogueira Cavalcante (PSD) noticiam que a empresa, vencedora da licitação para obras de pavimentação asfáltica de vias públicas, não preenche os requisitos para executar o objeto da tomada de preços.

  • Foto: Facebook/Iracema PortellaGladson MuriloGladson Murilo

Narram que o endereço da empresa constante no alvará de funcionamento não é ocupado por ninguém e nem mesmo um comprovante de água ou luz, ou mesmo contrato de aluguel foi apresentado.

A TSC Serviços e Construções Eireli, narra à denúncia, não tem funcionário registrado, não possui endereço em Corrente/PI e nem qualquer tipo de maquinário para a prestação do serviço objeto do contrato.

Os vereadores ressaltam, que é público e notório, que todo serviço de aterro, terraplanagem, transporte de material, ou seja, a parte mais cara da obra, deu-se por meio de maquinário pertencente ao Município de Corrente/PI e com combustível, possivelmente as custas do erário.

Para os parlamentares, a escolha da empresa foi feita mediante licitação direcionada e com fortes indícios de desvio de dinheiro público, já que a maior parte da obra foi feita com maquinário da prefeitura e a empresa contratada participou apenas da aplicação da lama asfáltica.

Os vereadores também questionam o preço da pavimentação. Segundo eles, um quilometro de rodovia custa, em média, R$1,5 milhão, enquanto o asfaltamento de um quilômetro de malha urbana de alta qualidade cai para metade do valor, R$ 800 mil. No caso, informam que o objeto do contrato custou R$ 949.348,18 sendo que o asfalto empregado na obra é de qualidade muito inferior.

Para os vereadores, “resta patente o prejuízo ao erário, uma vez que a empresa recebeu pelos serviços que não executou” e pedem que sejam apuradas as condutas noticiadas.

A denúncia foi protocolada na promotoria de Justiça de Corrente/PI em 04 de dezembro de 2019.

Outro lado

Procurada, a defesa do prefeito Gladson Murilo disse que enviaria um posicionamento, o que não aconteceu até a publicação desta repotagem.