Piauí

Vítimas de acidente envolvendo carreta na BR-135 são identificadas

Um parente das vítimas conversou com o GP1 e deu detalhes sobre o acidente: “Todos são da mesma família. No veículo estavam um tio, um sobrinho e um cunhado”.

ANDRESSA MARTINS

- atualizado

Três pessoas morrem após colisão entre veículos na BR-135

As vítimas do acidente envolvendo um carro modelo Fiat Uno e uma Carreta Scania, na BR135, foram identificadas como Paulo Gustavo da Silva Ferreira, condutor do veículo de passeio, Geraldo Furtado da Silva e Liberato Ferreira de Lima. A colisão frontal aconteceu na madrugada dessa sexta-feira (12) no KM 467 da BR-135, localizado no município de Monte Alegre do Piauí. As vítimas são naturais de Juazeiro do Norte, no Ceará e morreram imediatamente após o acidente.

Em entrevista exclusiva para o GP1, um parente das vítimas que não quis ser identificado, confirmou que todos os passageiros que faleceram no acidente eram da mesma família e estavam no carro de passeio. “Todos são da mesma família. No veículo estavam um tio, um sobrinho e um cunhado”.

“Dois deles saíram de Juazeiro do Norte para ir buscar o outro na cidade de Barreiras, na Bahia. Porque o mesmo estava com complicações de saúde e aqui seria melhor de tratar. Acabaram se encontrando em Luís Eduardo e na volta aconteceu essa fatalidade”, contou.

Rodovia da morte

A BR-135, que liga o Piauí com o estado da Bahia, é conhecida popularmente como “Rodovia da morte” por conta dos inúmeros acidentes. A rodovia já foi considerada fora do padrão pela Polícia Rodoviária Federal.

O parente das vítimas comentou sobre a falta de acostamentos da BR e contou que a colisão frontal do carro de passeio com a carreta é “intrigante”. “Conversando com peritos amigos da gente e vendo a situação da BR aí, que não tem acostamento, há relatos de que o carro vinha ziguezagueando”, disse.

“Obviamente que nada vai trazer eles de volta, mas é uma situação um pouco intrigante porque pela situação da BR, de não ter acostamento e de não ser tão larga, um carro que vinha ziguezagueando, a probabilidade dele descer para direita, onde não tem acostamento, é muito maior do que ele ir para o outro lado. Mas ele pode ter cochilado, talvez, não sei. Ultrapassagem, de um ou de outro, mas isso só a perícia mesmo”, concluiu o parente das vítimas.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB