Piauí

Wellington anuncia programa que beneficiará 15 mil famílias de baixa renda

O PRO Social pretende investir, até 2022, R$ 140 milhões em programas de proteção das pessoas em situação de vulnerabilidade.

- atualizado

O governador Wellington Dias se reuniu, nesta quarta-feira (9), por videoconferência, com a vice-governadora, Regina Sousa, e gestores envolvidos no PRO Social, programa que está dentro do PRO Piauí, para discutir as estratégias e ações prioritárias para diminuição dos efeitos da Covid-19 e enfrentamento da crise socioeconômica no âmbito social.

O PRO Social pretende investir, até 2022, R$ 140 milhões em programas de proteção das pessoas em situação de vulnerabilidade. O plano de ações estratégicas visa a proteção e inclusão produtiva das pessoas em situação de vulnerabilidade social com atuação em cinco eixos.

O primeiro eixo trata da promoção da segurança alimentar e sanitária para as populações socialmente vulneráveis do estado do Piauí; o segundo eixo irá fomentar economicamente pequenos empreendedores ou projetos que possam gerar renda; o terceiro eixo trata da ampliação da oferta de trabalho; o quarto eixo trabalhará a oferta de oportunidades de estágio remunerado, concessão de bolsas de estudo, pesquisa e extensão para estudantes de instituições públicas de ensino; e o quinto eixo, que irá garantir acesso à documentação para as famílias em situação de vulnerabilidade.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Wellington Dias Wellington Dias

Cerca de 15 mil famílias serão atendidas com as ações contidas no plano estratégico, como a melhoria habitacional, garantia de acesso à água portável, à documentação cidadã e inclusão em programas sociais. O PRO Social prevê ainda pelo menos 40 mil pessoas atendidas com ações de inclusão produtiva, acesso ao crédito e geração de renda.

“Fizemos um projeto focando no que consideramos o marco civilizatório da cidadania: comida, água, moradia, documentação e inclusão produtiva, com envolvimento de onze órgãos, que além de continuar realizando suas ações, estarão colaborando nesse projeto. Foi nesse sentido que desenvolvemos essas ações, tendo um olhar especial às pessoas que não estão inseridas em programas sociais e precisam muito de assistência, para isso retomaremos a busca ativa dessas pessoas em vulnerabilidade”, explicou Regina Sousa, que está à frente do PRO Social.

Wellington Dias propôs a inclusão da educação dentro das ações estratégicas elaboradas. “Ainda temos uma parcela da população em situação de extrema vulnerabilidade, que depende de auxílios e o principal objetivo do PRO Piauí, dentro da particularidade do PRO Social, é ter um olhar para aproximadamente de onze a 15 mil famílias piauienses, que são os chamados invisíveis, pessoas que vivem em situação de rua e que precisam de um apoio para alimentação, solução que alguns programas sociais podem resolver como água potável, moradia e renda. É isso que queremos com o PRO Social: chegar até essas pessoas, integrando várias áreas, como a educação, e garantir cidadania a pessoas consideradas invisíveis e outras que são dependentes de transferência de renda”, ressaltou o governador.

Participaram da reunião gestores das Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), do Planejamento (Seplan), da Assistência Social e Cidadania (Sasc), da Agricultura Familiar (SAF), Defesa Civil, Defensoria Pública, Instituto de Águas e Esgotos do Piauí (Iaepi), Instituto De Assistência Técnica e Extensão Rural do Piauí (Emater), Agência de Desenvolvimento Habitacional (ADH), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi), Coordenadoria de Mulheres, Coordenadoria de Irrigação e Agência de Fomento.

NOTÍCIA RELACIONADA

Wellington Dias anuncia criação do sistema PRO Saúde no Piauí