Política

Wellington Dias afirma que buscará perfil técnico para secretarias

Wellington Dias explicou que quando os secretários saírem dos cargos, ele ira priorizar pela escolha de profissionais que já estão atuando nessas secretarias.

Bárbara Rodrigues
Teresina
- atualizado

Em 2018, o governador Wellington Dias (PT) realizará uma reforma administrativa devido às eleições, já que muitos dos seus secretários são deputados estaduais ou federais. Eles devem sair das secretarias seis meses antes da eleição, ou seja, até o final de abril deve acontecer a descompatibilização de até 10 secretários, além de outros gestores.

Wellington explicou que quando os secretários saírem dos cargos, ele irá priorizar pela escolha de profissionais que já estão atuando nessas secretarias, para que não ocorra problemas de descontinuidade em relação aos trabalhos que estão sendo desenvolvidos.

“Como eu já vivi isso em outros governos, o cuidado que a gente tem é que quando alguém se afasta para uma candidatura, faltando um ano para concluir o mandato, é importante ter alguém já com experiência, que seja da própria equipe e que tenha um bom perfil técnico, para não ter descontinuidade”, explicou.

  • Foto: Laura Moura/GP1Wellington DiasWellington Dias

Ele destacou que o ano de eleição costuma ser mais “parado” e por isso é importante que os novos secretários sejam pessoas que já conhecem as ações das secretarias, para evitar assim, maiores prejuízos, como a demora na implementação de algum projeto.

“Eu gosto de cuidar desse assunto só no ano de eleição, porque é um ano que traz uma certa paralisia, e isso não é bom. Para a gente seguir crescendo tem que seguir com as obras e programas que estão sendo realizados. A orientação é ter alguém com um perfil técnico para dar continuidade para o que está em andamento”, afirmou o governador.

A reforma administrativa que será realizada, será grande, já que boa parte das secretárias são ocupadas por deputados. Entre os que devem sair estão os deputados estaduais: Fábio Novo (PT), da secretaria de Cultura, Ziza Carvalho (PDT), de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Zé Santana (PMDB), da Assistência Social e Cidadania, Jannaína Marques (PTB), de Infraestrutura, Hélio Isaías (PP), de Defesa Civil, Nerinho (PTB), de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, e Gessivaldo Isaías (PRB), de Trabalho. Também tem o deputado Pablo Santos (PMDB), que é da Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH).

Além dos deputados federais: Fábio Abreu (PTB), da Secretaria de Segurança Pública, e Rejane Dias (PT), da Educação. O secretário de governo, Merlong Solano (PT), também deverá disputar as eleições.