Piauí

Wellington Dias leva Agência de Fomento para São João do Piauí

"A Piauí Fomento é um braço do Estado, autorizado pelo Banco Central, com uma longa experiência no microcrédito, especialmente, mas também no apoio aos pequenos produtores", disse o governador.

Nesta quinta-feira (14), o governador do Piauí Wellington Dias participou de uma reunião técnica para apresentação da Agência Piauí Fomento aos empresários e produtores do São João do Piauí, no Centro Cultural Ministro Petrônio Portela. O governador ressaltou que a agência agora passa por um novo momento de ampliação e novas metas.

"A Piauí Fomento é um braço do Estado, autorizado pelo Banco Central, com uma longa experiência no microcrédito, especialmente, mas também no apoio aos pequenos produtores, e agora estamos em um momento novo, trabalhando na capitalização para ampliar cada vez mais, a fim de alcançar R$ 30 milhões, até 2020, em capitalização da Agência de Fomento, somando à capitalização já existente: cerca de R$ 18 milhões de reais. Temos parceria com o Banco Regional de Brasília, com o Finame e estamos organizando os primeiros fundos de investimentos e participações”, afirmou.

O diretor presidente da Piauí Fomento, Luiz Carlos Everton de Farias, apresentou a instituição, criada para promover o desenvolvimento econômico e social do Estado do Piauí.

“A reunião teve como objetivo apresentar aos empresários e produtores a Piauí Fomento, não só a instituição, mas também os nossos programas, as nossas linhas de crédito. Mostramos que temos financiamento para capital de giro, para investimento fixo e financiamos também para os produtores rurais, hoje mesmo liberamos o crédito para restauração de um hectare de uva”, disse o diretor. Na oportunidade, a produtora de uva Maria de Lourdes Pereira assinou um contrato para restauração de um hectare para a produção de uva. Segundo ela, vai esse apoio vai fortalecer seu negócio.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Wellington DiasWellington Dias

“Por meio da Piauí Fomento, que está sendo instalada em São João do Piauí, assinei o contrato de um projeto para reestruturar o meu parreiral de uva no Assentamento Marrecas. Esse investimento vai dar uma alavancada na produção, que tem um grande potencial com a fruticultura irrigada, principalmente a uva, e esperamos que, com esse projeto, possamos gerar emprego na região”, afirmou a empreendedora.

O prefeito de São João do Piauí, Gil Carlos, disse que a iniciativa irá gerar desenvolvimento, emprego e renda para a população. “Esse é um momento que antecede o primeiro dia do Festival da Uva apresentando aos empreendedores de São João do Piauí mais uma alternativa: uma agência que oferece crédito mais simplificado, menos burocratizado, mais barato para aqueles que querem empreender nos mais diversos ramos de atividade produtiva no município”, destacou Gil.

No estado, a primeira experiência de banco comunitário ocorreu em São João do Arraial, o Banco Cocais, inaugurado no dia 2 de dezembro de 2007. Existem os bancos Rede Opala, em Pedro II; Banco Retiro, em Esperantina; e Porto Marruás, na cidade de Porto. Cada um com suas moedas próprias. Wellington Dias ressaltou que a agência agora passa por um novo momento de ampliação e novas metas.

“A Piauí Fomento é um braço do Estado, autorizado pelo Banco Central, com uma longa experiência no microcrédito, especialmente, mas também no apoio aos pequenos produtores, e agora estamos em um momento novo, trabalhando na capitalização para ampliar cada vez mais, a fim de alcançar R$ 30 milhões, até 2020, em capitalização da Agência de Fomento, somando à capitalização já existente: cerca de R$ 18 milhões de reais. Temos parceria com o Banco Regional de Brasília, com o Finame e estamos organizando os primeiros fundos de investimentos e participações”, disse o governador.

Mais conteúdo sobre: