Parnaíba - PI

Zé Filho recepciona ministra da Agricultura na FIEPI em Parnaíba

A ministra iniciou uma série de viagens no Nordeste pelo Estado do Piauí, onde fez uma visita técnica ao Perímetro Irrigado dos Tabuleiros Litorâneos de Parnaíba.

- atualizado

O presidente da Federação das Indústrias do Piauí - FIEPI, Zé Filho, recepcionou na tarde desta quinta-feira (14), a ministra da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina Dias e um grupo de empresários na sede da FIEPI, em Parnaíba.

A ministra iniciou uma série de viagens no Nordeste pelo Estado do Piauí, onde fez uma visita técnica ao Perímetro Irrigado dos Tabuleiros Litorâneos de Parnaíba, que produz acerola, melancia, caju, melão, mamão e outros alimentos.

  • Foto: Divulgação/AscomZé Filho recebe ministra Tereza Cristina na FIEPI em ParnaíbaZé Filho recebe ministra Tereza Cristina na FIEPI em Parnaíba

Na oportunidade a ministra agradeceu a receptividade do presidente da FIEPI. “É uma satisfação muito grande iniciar minhas viagens pelo Nordeste, aqui por Parnaíba. Quero agradecer ao presidente Zé Filho pela receptividade na FIEPI e vamos aproveitar a federação para trazer indústria, e termos o ciclo completo”, afirmou.

  • Foto: Divulgação/AscomZé Filho, presidente da FIEPIZé Filho, presidente da FIEPI

Por sua vez, Zé Filho pediu atenção da ministra para a agricultura e a pecuária do Estado do Piauí e em especial a conclusão dos Tabuleiros Litorâneos, no litoral. "Estamos confiantes no Governo Federal, que traga as mudanças e as reformas que o Brasil tanto precisa, para fazer um Brasil mais justo, mais produtivo e igualitário. Dentro de um ano queremos vê-la aqui novamente para inauguramos a conclusão dos tabuleiros, um sonho antigo dos parnaibanos. Nós acreditamos que a senhora faça uma grande gestão à frente desse ministério tão importante e que possa fazer melhorias para a nossa Parnaíba e para o nosso Estado."

  • Foto: Divulgação/AscomZé Filho ao lado da ministra da Agricultura, Tereza CristinaZé Filho ao lado da ministra da Agricultura, Tereza Cristina

Em agosto de 2018, foi assinada a segunda etapa dos Tabuleiros Litorâneos, com previsão de investimento federal de R$ 27 milhões. O objetivo é estimular ainda mais a fruticultura irrigada e ampliar o potencial de comercialização para mercados internos e externos, gerando novos empregos e mais renda na região. Ao todo, serão, aproximadamente, seis mil hectares irrigados, o equivalente a 430 lotes agrícolas destinados a pequenos produtores e cooperativas da região. A expectativa é de gerar cerca de dois mil novos postos de trabalho na segunda fase do projeto.

Em reunião com produtores da região, a ministra lembrou que o presidente Jair Bolsonaro já havia recomendado antes mesmo de tomar posse, no período de transição de governo, uma política de inclusão dos pequenos produtores e dos produtores do Nordeste. “Vamos fazer a diferença na região”, foi a fala de Bolsonaro, segundo Tereza Cristina.

  • Foto: Divulgação/AscomPresidente da FIEPI, Zé Filho e ministra Tereza CristinaPresidente da FIEPI, Zé Filho e ministra Tereza Cristina

A ministra ficou impressionada com a produção de orgânicos no projeto e acrescentou que obras que estejam com 10%, 30% faltando para serem concluídas são prioridade do Governo Federal. Os recursos investidos nos Tabuleiros Litorâneos já poderiam estar voltando na forma de impostos, comentou.

O secretário de Agricultura Familiar do Mapa, Fernando Schwanke, lembrou que é também fruticultor e que imagina a dificuldade dos produtores locais para produzirem acerola orgânica na região. “Isso mostra o potencial da fruticultura e de todo o Nordeste”, afirmou.

Sobre a continuidade das obras do projeto Tabuleiros Litorâneos, a ministra disse que tratará do assunto com a área técnica do Mapa e com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, para ver quais providências poderão ser adotadas, qual o cronograma previsto e se há recursos disponíveis.

A ministra elogiou a produção de orgânicos do projeto e disse que vai incrementar projetos específicos para várias áreas do Nordeste. “Estamos fazendo uma visita técnica para conhecer todas as cadeias produtivas da região e aqui a gente sabe da fortaleza que é a fruticultura. Foi muito bom esse reconhecimento para ver como a produção de frutas vai bem, abacaxi, acerola, banana, inclusive orgânicos, que os mercados têm uma procura enorme, principalmente o Europeu”.

Mais conteúdo sobre: