GP1

Teresina - Piauí

Pai de Camilla Abreu vai disputar vaga na Assembleia

A informação foi confirmada ao GP1 pela presidente regional do PMN, a advogada Ravenna Castro que fará dobradinha com Jean.

Jean Carlos Abreu, pai da estudante de Direito Camilla Abreu, assassinada pelo capitão da Policia Militar, Alisson Wattson no ano passado, em Teresina (PI), vai se candidatar a uma vaga na Assembleia Legislativa do Piauí. A informação foi confirmada ao GP1 pela presidente regional do PMN, a advogada Ravenna Castro que fará dobradinha com Jean.

  • Foto: DivulgaçãoJean Carlos e Ravenna CastroJean Carlos Abreu e Ravenna Castro

Ravenna adiantou que uma das principais bandeiras será o combate à violência, sobretudo, aos casos de feminicídio. “Eu sou pré-candidata a deputada federal e o senhor Jean Abreu vai concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa pelo PMN. Entre as nossas lutas estará o combate ao feminicídio. Decidimos encarar essa missão”, disse a dirigente do PMN.

Plano majoritário

Na esfera majoritária, o PMN segue dialogando com o pré-candidato ao Governo do Piauí pelo Podemos, o senador Elmano Férrer. Apesar das conversas afuniladas, o partido ainda não fechou questão e já chegou a ser cogitado para ocupar espaço na chapa de Elmano.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Assassino confesso da estudante Camilla Abreu vai a Júri Popular

Promotor pede reconstituição da morte da estudante Camilla Abreu

Defesa alega que assassino de Camilla Abreu sofre de problema mental

Audiência de instrução do assassino de Camilla Abreu acontece hoje

PM decide pela expulsão do assassino confesso de Camilla Abreu da polícia

Pai de Camilla pede expulsão do capitão Allisson Wattson da PM

MP denuncia Allisson Wattson pelo assassinato de Camilla Abreu

Capitão Allisson Wattson é indiciado pela morte de Camilla Abreu

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.