GP1

Parnaguá - PI

Secretária de Saúde é denunciada por furar fila da vacinação em Parnaguá

Além dela, ainda foi denunciado o motorista do SAMU, Aloisio Nicolau Costa. A secretária Joziane Rissi é esposa do ex-prefeito Miguel Omar Barreto Rissi, o "Miguelão".

O Ministério Público do Estado do Piauí ingressou com ação civil de improbidade administrativa e condenação por dano moral coletivo contra a secretária de Saúde do Município de Parnaguá, Josiane Therezinha Silveira Rissi e o motorista do SAMU, Aloisio Nicolau Costa, acusados de terem furado a fila da vacina contra a Covid-19. Joziane Rissi é esposa do ex-prefeito Miguel Omar Barreto Rissi, o "Miguelão", patrono político do prefeito Jondson Castro Fé, mais conhecido como "Alemão".

Foram enviadas a Parnaguá 123 (cento e vinte e três doses) doses que deveriam ser aplicadas nos profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate ao covid-19. Após reclamação recebida pela Ouvidoria do Ministério Público, foi instaurado "Notícia de Fato”, para investigar denúncia de suposta vacinação em desrespeito à ordem prioritária estabelecida pela campanha de vacinação e requisitado informações à Secretaria Municipal de Saúde, onde foi confirmado a aplicação da vacina.

Josiane Rissi é dentista, mas não trabalha no desempenho da função, exercendo atualmente o cargo em comissão de Secretária de Saúde e não atua diretamente em hospitais, unidades ou postos de saúde em atendimento ao público, muito menos a pacientes com COVID-19. Aloísio Nicolau Costa, por sua vez, é motorista substituto eventual lotado na Unidade SAMU de Parnaguá-PI, e não está listado entre os profissionais que deveriam ser vacinados neste lote.

Para a promotora Gilvania Alves Viana, da Promotoria de Justiça de Parnaguá, a imagem da Secretária de Saúde e motorista furando a fila da vacina, enquanto a maioria da população sequer sabe se será e quando será vacinada, é um humilhante tapa na cara da coletividade, “ampliando o sentimento de humilhação do povo de Parnaguá”.

Salientando que não há previsão de quando o cidadão comum, que perdeu parte de sua renda, que adoeceu, que viu amigos e familiares padeceram ou morrerem, será vacinado, "a angústia dessas pessoas é agravada a um ponto insuportável quando a esperança da vacina é transformada em mais um ataque à sua dignidade".

A ação pede a condenação de Josiane Rissi e Aluisio Nicolau Costa por ato de improbidade administrativa e a condenação do Município de Parnaguá ao pagamento de indenização por dano moral coletivo em valor não inferior a R$ 100.000 (cem mil reais).

Protocolada eletronicamente na última quarta-feira (03), a ação aguarda recebimento pelo juízo da Comarca de Parnaguá.

Outro lado

Josiane Therezinha Silveira Rissi não foi localizada pelo GP1.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.