GP1

Teresina - Piauí

Skatista piauiense Isa Corleone crê em novo futuro para a modalidade

Três vezes campeão piauiense, Isa esteve no STU Open, competição que garantiu vaga de Rayssa para Tóquio.

A conquista da medalha de prata pela skatista maranhense Rayssa Leal, a Fadinha, de 13 anos, na última segunda-feira (26), nos Jogos Olímpicos de Tóquio, abriu os olhos do Brasil e trouxe esperança para quem deseja viver dessa modalidade esportiva no Brasil.

O GP1 conversou com Isa Corleone, skatista piauiense que desde os 15 anos representa o Estado em competições pelo Brasil. Segundo a atleta, se ela tivesse recebido patrocínio e o apoio adequado teria também participado das Olimpíadas.

“No início da minha carreira eu sempre ficava em 3° lugar nas competições aqui em Teresina, mas com muito treino eu consegui ficar em 1° lugar e me tornei três vezes campeã piauiense. A conquista do estado abriu as portas para disputa em estados vizinhos. Daí comecei a participar de campeonatos fora como em São Luís, Fortaleza, Caxias e no Campeonato Brasileiro, que foi em São Paulo”, disse a skatista.

Foto: Isa Corleone / Arquivo PessoalIsa Corleone
Isa Corleone

A piauiense chegou a participar da competição de STU Open, em Lauro de Freitas (BA), que de acordo com ela foi a mais importante que já disputou até hoje. É no STU que 24 atletas de todo o Brasil se reúnem durante três etapas e disputam uma vaga para os Jogos Olímpicos.

“Consegui dinheiro com amigos, fiz vaquinha, tirei dinheiro do meu próprio bolso, e com esse trabalho eu participei da primeira etapa e consegui passar para a segunda etapa, mas não pude ir. Com a terceira etapa eu também não consegui ir porque não tinha patrocínio”, relata Isa.

A atleta de Teresina disse já competiu com Rayssa nos torneios e que apesar da falta de apoio financeiro vê uma boa perspectiva para o esporte no Estado e enxerga o pós-olímpiada como uma chance de aumento da prática do esporte no Piauí.

Piauienses nas Olimpíadas de Tóquio

Com dois participantes nos jogos deste ano - João Henrique Falcão, no revezamento 4x400m misto e Kawan Pereira, nos Saltos Ornamentais - o Piauí esteve próximo de bater o recorde com número de atletas na competição, não fosse Adriana, da seleção feminina de futebol, ter se lesionado e precisar ser cortada da escalação.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.