GP1

Piauí

Juiz nega liberdade a acusado de torturar e matar esposa em Teresina

A decisão foi dada pelo juiz Sandro Francisco Rodrigues, da 2ª Vara do Tribunal Popular do Júri da Comarca de Teresina.

O juiz Sandro Francisco Rodrigues, da 2ª Vara do Tribunal Popular do Júri da Comarca de Teresina, negou o pedido de liberdade de Izaquiel Fernando de Sousa, acusado de torturar e matar a própria esposa, Aline Silva Ramos, no bairro Alto da Ressureição, em abril de 2018. A decisão foi dada 21 de agosto deste ano.

Na denúncia formulada pelo Ministério Público do Estado do Piauí (MPPI), consta que o corpo da vítima apresentava lesões, como queimaduras nas regiões mamárias.

  • Foto: Reprodução/WhatsAppIzaquiel Fernando de SousaIzaquiel Fernando de Sousa

“Como consignado anteriormente, a gravidade concreta do fato é destacada pelas diversas lesões sofridas pela vítima. Segundo laudo pericial de exame preliminar cadavérico, a vítima apresentava queimaduras de primeiro e segundo grau nas regiões mamárias, com múltiplos ferimentos produzidos por instrumento contundente e meio físico (calor direto)”, destacou.

Conforme o magistrado, a concessão de liberdade provisória será negada, pois é necessária a aplicação da lei penal e ainda levando em consideração que o acusado alegou que sua esposa tinha sido vítima de assalto.

“A necessidade de se garantir a aplicação da lei penal, como anteriormente dito, é ressaltada pelo uso de artifícios, pelo denunciado, para evitar a incidência dos efeitos da aplicação da lei penal. Nas narrativas acostadas pelas testemunhas na fase do inquérito policial, teria o acusado apresentado, junto aos hospitais em que a vítima foi socorrida, a versão de que a situação grave se deveria a um assalto sofrido pela Sra. Aline Silva Ramos Pedreira”, ressaltou.

Prisão e caso

Um homem identificado como Izaquiel Fernando de Sousa, de 22 anos, acusado de torturar e matar a esposa, Aline Silva Ramos, de 24, no bairro Alto da Ressureição, zona sudeste de Teresina, foi preso no cruzamento das ruas 15 de novembro e Ivan Tito de Oliveira, no bairro Lourival Parente, zona sul da capital.

Em entrevista ao GP1, a delegada Luana Alves explicou como ocorreu o crime. "Era um relacionamento extremamente agressivo, com agressões múltuas. A agressão ocorreu na quinta-feira passada e ela veio a óbito por traumatismo craniano no sábado. Segundo as informações que ele nos passou, os dois tiveram uma discussão, a mãe dele até tentou intervir e ele confessou que agrediu a esposa. Ele chegou a alegar que ela estava com uma faca para agredi-lo. Devido a gravidade do crime, o mandado de prisão preventiva foi pedido no sábado e expedido ainda no domingo pela Justiça", informou.

Conforme a Força Tarefa da Secretaria de Segurança Pública do Estado, o acusado foi preso durante uma abordagem policial. Ele estava fugindo da polícia desde o último sábado (28).

NOTÍCIA RELACIONADA

Acusado de torturar e matar mulher é preso no Lourival Parente

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.