GP1

Piauí

Setut e Sintetro não fecham acordo e greve dos ônibus continua em Teresina

Motoristas e cobradores de ônibus estão em greve desde o último dia 8 de fevereiro.

Nesta terça-feira (16) ocorreu uma nova rodada de negociações mediada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) com intuito de fechar acordo entre os trabalhadores e empresários do sistema transporte público de Teresina. O encontro terminou sem entendimento entre as partes. Motoristas e cobradores de ônibus estão em greve desde o último dia 8 de fevereiro.

A categoria reivindica a realização de acordo coletivo do ano 2021, a manutenção do salário no valor de R$ 2.028,00 e ainda a reposição de benefícios que os trabalhadores alegam terem sido retirados durante a pandemia de covid-19. Esse já é o sexto movimento realizado pelos trabalhadores neste ano.

Foto: Alef Leão/GP1Ônibus na Praça da Bandeira em Teresina
Ônibus na Praça da Bandeira em Teresina

Em nota, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut), afirmou que a negociação foi positiva, porém, não ocorreu um consenso.

Na reunião, participaram membros do TRT, do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro). Nenhum representante da Prefeitura de Teresina participou da reunião.

A ala patronal alegou que não tem como cumprir as exigências do Setut por conta de um déficit financeiro no qual passa o sistema público de transporte público.

Confira a nota na íntegra

O SETUT informa que avalia como positiva a reunião realizada nesta terça-feira (16) no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) junto ao Sintetro, pois está havendo um diálogo entre as partes, mas que ainda não foi possível um consenso entre os interessados. A entidade manifesta o interesse de participação da Prefeitura na mesa de negociações, como forma de dar prosseguimento a um acordo efetivo. O SETUT esclarece que, no momento, não há possibilidade de cumprimento total dos termos vigentes na convenção coletiva de 2019, devido ao déficit financeiro pelo qual o sistema passa e a falta de repasses previstos no contrato de concessão, descumpridos pela gestão municipal, que são essenciais para o funcionamento eficaz do sistema de transporte público. A entidade reitera que está em busca, prioritariamente, da manutenção dos postos de trabalho e consequente sobrevivência do sistema. O SETUT segue em busca de uma negociação efetiva e uma melhor alternativa para um acordo com a categoria dos trabalhadores, a fim de que o movimento grevista seja interrompido.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.