GP1

Polícia

Polícia Civil encontra crânio humano na zona norte de Teresina

O delegado Robert Lavôr acredita que o crânio pertença a Francisco Italo, encontrado decapitado no Rio Poti.

A Polícia Civil localizou na última segunda-feira (26), após uma denúncia anônima, um crânio humano em um terreno no bairro Monte Verde, zona norte de Teresina. A polícia acredita que a ossada pertença a Francisco Italo Lopes de Macedo, encontrado decapitado no mês de janeiro, nas águas do Rio Poti, na região do bairro Monte Alegre.

De acordo com informações do delegado Robert Lavor, as investigações acerca da morte de Italo estão em estágio avançado e levaram a uma denúncia anônima que informou o exato local onde o crânio estava. “A gente encontrou essa ossada através da investigação do Francisco Ítalo. Recebemos uma denúncia anônima e encontramos no local, um buraco tipo pra furar poço, essa ossada do crânio. Então a gente acredita que pelo contexto seja dele”, relatou o delegado.

O delegado ponderou que somente após o exame realizado pelo Instituto Médico Legal (IML) poderá afirmar com exatidão que o crânio é de Francisco Italo. “Só o resultado do exame de identificação feito pelo IML vai confirmar isso com certeza. Mas a investigação está apontado para isso, mas vai depender do laudo”, ponderou.

Relembre o caso

Na tarde do dia 13 de janeiro de 2018, por volta 16h, populares encontraram o corpo de um homem decapitado nas águas do Rio Poti, na região do bairro Monte Alegre, zona norte de Teresina. O corpo não havia sido identificado, porque estava sem cabeça, decapitado, e havia várias perfurações.

No dia 14 de janeiro, o delegado Francisco Costa, o "Barêtta", conseguiu identificar o corpo como sendo de Francisco Italo Lopes Macêdo, 17 anos. De acordo com o delegado, a vítima tinha passagens pela polícia pelos crimes de furto, roubo e tráfico de drogas.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.