GP1

Polícia

Dono do Instituto Qualifique é preso pela 2ª vez em Teresina

No momento do cumprimento do mandado, o empresário implorou de joelhos aos policiais para não ser preso.

A Polícia Civil do Maranhão, através do 1º Distrito Policial de Timon, deu cumprimento a um mandado de prisão preventiva na manhã desta terça-feira (24), em Teresina, contra o empresário Jacobe Almeida Barbosa, dono do Instituto Qualifique, acusado de expedir diplomas falsos de cursos de graduação e pós-graduação pelo Instituto Qualifique e Consultoria. Essa é a segunda vez em que ele foi preso somente neste ano pela mesma prática criminosa.

De acordo com o delegado Michel Sampaio, titular do 1º DP, o suspeito foi preso na tarde desta terça-feira (24) na residência da mãe dele, no bairro Parque Piauí. Contra ele, há várias investigações e procedimento nos estados do Piauí, Maranhão, Pará e Amazonas. No momento do cumprimento do mandado, o empresário implorou de joelhos para não ser preso.

  • Foto: Reprodução/WhatsAppEmpresário foi presoEmpresário foi preso

“Preliminarmente, vale ressaltar que se trata de uma prisão de membro de uma associação criminosa, cujo mandado foi expedido por um juiz de uma vara situada, em São Luís, mas com abrangência em todo o estado. Com relação ao crime, pode parecer um crime sem violência. No caso, se tratava de uma organização que empreendia a criação de institutos de capacitação de ensino, promovendo alguns tipos de atividade de cunho superior para alunos, principalmente, carentes, sendo que esses alunos pagavam devidamente o curso e não recebiam o diploma ou certificado. A quadrilha aplica esses golpes vindos de vários outros municípios e há tempos perpetrava esse tipo de crime. Temos notícias de cartas precatórias advindas da polícia e justiça das cidades de Manaus-AM, Marabá-PA, Santa Inês-MA, Igarapé do Meio-MA, Delegacia de Defraudações em São Luís, Delegacia de Defraudações de Curitiba-PR e já temos que aqui do outro lado do rio, no Piauí, em Teresina, já estão instalados e sediados, fazendo novos crimes, os quais devidamente vão ser comunicados as autoridades competentes”, explicou o delegado.

  • Foto: GP1Delegado Michel SampaioDelegado Michel Sampaio

Golpes chegam a R$ 90 milhões

O delegado Michel Sampaio ressaltou ainda que os cursos variavam entre R$ 20000 e R$ 300,00 e que, na maioria, ocorriam de modo presencial, sem que os alunos recebessem os diplomas.

“Existia um projeto de curso online, mas a maioria dos cursos e vítimas que nós ouvimos aqui na delegacia, todos nos relatavam que eram cursos presenciais e que custavam em cerca de R$ 200,00 a R$ 300,00 a mensalidade. Ele, dizia que eram cursos de capacitação, mas as vítimas entendiam como cursos de graduação. Era muito grosseira a forma de aula oferecida, de qualquer forma era uma mescla de capacitação, com graduação, cursos diversos de pedagogia, filosofia e cursos da área de humanas, em geral. Temos conhecimento que dado a esses crimes perpetrados há anos, desde que ele começou a criar esse golpe vindo lá de Manaus, eles deram prejuízos às vítimas, por base, na casa de R$ 90 milhões”, explicou.

O delegado reforçou ainda que “todas as vítimas de crimes praticados pelo senhor J. A. B e companhia deve procurar o distrito da área, sejam moradores de Teresina, Timon, Matões, Parnarama, pode procurar o distrito da área que serão devidamente encaminhados a autoridade policial para a confecção do procedimento”, finalizou.

Além do empresário, outras seis pessoas são investigadas por associação criminosa.

NOTÍCIA RELACIONADA

Dono do Instituto Qualifique é preso acusado de emitir diplomas falsos

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.