GP1

Política

“PL vai seguir firme com governador Wellington Dias”, diz Carlos Augusto

O deputado esteve reunido com Wellington e na pauta, além de algumas questões administrativas, o assunto eleições também esteve na mesa de discussões.

O PL é um dos partidos da base que está fechado com o governador Wellington Dias (PT-PI) para as eleições de 2022. O GP1 conversou nesse sábado (27) com o deputado estadual Carlos Augusto e ele afirmou que no partido não se discute qualquer cenário fora do grupo liderado pelo chefe do Palácio de Karnak.

Na última sexta-feira (26), Carlos Augusto esteve reunido com Wellington e na pauta, além de algumas questões administrativas, o assunto eleições também esteve na mesa de discussões.

Foto: Lucas Dias/GP1Coronel Carlos Augusto
Coronel Carlos Augusto

“Majoritariamente o PL vai seguir firme ao lado do governador Wellington Dias e desse projeto que nós ajudamos a construir e acreditamos que é o melhor para o Piauí”, afirmou o deputado.

A principal preocupação neste momento está centrada na formação das chapas proporcionais. De acordo com Carlos Augusto, a grande maioria dos partidos acredita que na volta das coligações proporcionais ou então na implantação do ‘Distritão’, onde os candidatos mais votados – deputados federais e estaduais - são os eleitos, não havendo assim os chamados "puxadores de votos".

“Acho que é possível voltar a ter coligações dentro daquilo que a gente recebe, inclusive, da direção nacional do PL que acredita ser possível voltar a ter coligação, ou o chamado Distritão em que os 10 deputados federais mais votados e os 30 deputados estaduais mais votados são eleitos”, explicou o deputado.

Carlos Augusto adiantou que enquanto segue a indefinição nacional, o Partido Liberal no Piauí estuda a formatação da chapa proporcional com a composição de nomes competitivos.

“Estamos firmes no propósito de montarmos a nossa chapa, tanto para deputado federal como para estadual. Somos três deputados na Alepi e pretendemos montar uma chapa com no mínimo 20 candidatos. Mas ainda está muito distante e estamos aguardando por possíveis mudanças feitas pelo Congresso Nacional”, falou.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.