GP1

Política

Justiça manda ex-prefeito Idevaldo Ribeiro para o banco dos réus

Na decisão que recebeu a inicial, dada no dia 25 de fevereiro, foi determinada a citação do ex-prefeito para responder a ação no prazo de 15 dias.

O juiz Rodrigo Britto Pereira Lima, da Subseção Judiciária de São Raimundo Nonato, recebeu a petição inicial da ação civil de improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público Federal e tornou réu o ex-prefeito de Várzea Branca/PI, Idevaldo Ribeiro da Silva, acusado de não responder aos ofícios encaminhados no bojo do inquérito civil instaurado com o objetivo de apurar supostas irregularidades ocorridas durante a gestão municipal entre 2013/2016, na contratação da empresa Line Turismo LTDA. pelo município de Várzea Branca/PI, com recursos do FUNDEB, para realizar o transporte escolar de alunos residentes na zona rural.

Narra o MPF que foram expedidos 04 (quatro) ofícios, sendo 02 (dois) encaminhados pelo procurador da República Kelston Pinheiro Lages, 01 (um) pelo procurador Patrick Aureo Emannuel da Silva Nilo e 01 (um) pelo procurador Leonardo Trevizani Caberlon.

Foto: Reprodução/FacebookIdevaldo Ribeiro
Idevaldo Ribeiro

Todos os ofícios foram recebidos na Prefeitura Municipal de Várzea Branca/PI e o ex-prefeito teria optado por não fornecer as informações requisitadas pelo MPF.

Para o juiz, a conduta de ignorar os ofícios ministeriais relacionados à administração de recursos federais “constitui manifesto desprezo à transparência e à legalidade que devem guiar o gestor público”.

Na decisão que recebeu a inicial, dada no dia 25 de fevereiro, foi determinada a citação do ex-prefeito para responder a ação no prazo de 15 dias.

Outro lado

Idevaldo Ribeiro não foi localizado pelo GP1.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.